O País – A verdade como notícia

Nampula vai acolher definitivamente deslocados de Cabo Delgado

Já foram parcelados 500 talhões para serem atribuídos aos deslocados de Cabo Delgado que estão em Nampula. O Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC) fala de perto de 30 mil pessoas que saíram das zonas de conflito e estão em vários distritos de Nampula

É no interior do distrito de Meconta, no posto administrativo de Corrane, onde se localiza a área que vai acolher os deslocados de Cabo Delgado que buscam refúgio na província de Nampula.

A área identificada já foi um bloco de produção de algodão no passado. Tratando-se de um local para residências definitivas, foram parcelados até aqui 500 talhões, com uma dimensão de 30 por 20 metros, e montadas tendas, com capacidade para acomodar uma família de cinco membros.

É a primeira vez que uma equipa de reportagem escala a zona. O líder comunitário, Agostinho Hassane, foi o nosso guia. Ele conta que a comunidade do seu regulado está a trabalhar de forma voluntária com as estruturas do governo provincial e do INGC na criação de condições para os “vientes”, como se diz naquelas bandas.

“Veio o administrador e informou-nos que vem os nossos irmãos de Cabo Delgado que fugiram e vêm para aqui mesmo e dissemos ‘bem-vindos’, porque durante a guerra dos 16 anos fomos acolhidos em Nampula por isso não podemos não acolher estes”.

Foram abertos 4 furos de água e está em processo a construção de casas de sanitários, assim como a criação de outras condições. Com o acolhimento definitivo, o posto administrativo de Namialo, ainda no distrito de Meconta, onde funcionam quatro centros de acomodação temporária, ficará aliviado, tal como disse no último sábado a respectiva chefe do posto, Adelina Mocala.

“Vamos nos sentindo aliviados aos poucos, para além de que vamos acompanhar o processo da sua retirada. Então, não vai ser de uma única vez, mas vamos nos sentindo aliviados aos poucos”.

O INGC actualizou os dados ontem e fala de cerca de 30 mil pessoas que chegaram a Nampula, fugindo do terrorismo na vizinha província de Cabo Delgado.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos