O País – A verdade como notícia

Nações Unidas prestam ajuda humanitária a mais de 10 mil pessoas em Cabo Delgado

A Organização Internacional para as Migrações (OIM), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e o Programa Mundial para a Alimentação (PMA) prestaram ajuda humanitária a 2.150 famílias no distrito de Palma, como parte de um Plano de Resposta Conjunta.

Esta acção coordenada oferece alívio às pessoas isoladas que não receberam ajuda humanitária de agências da Organização das Nações Unidas (ONU) desde o início dos ataques terroristas em Palma, no final de Março deste ano.

“Com estes kits de abrigo (cobertores, utensílios de cozinha, esteiras, lonas, cordas e sacolas), esperamos reduzir o impacto sofrido pelos civis em Palma. Com este acesso temporário, as equipas da OIM puderam realizar uma avaliação inicial sobre as necessidades actuais dos deslocados internos nessas áreas até então inacessíveis”, referiu Laura Tomm-Bonde, chefe da missão da Organização Internacional para as Migrações.

O Programa Mundial para Alimentação (PMA) foi o responsável pelo transporte dos bens oferecidos às populações, assim como dos voluntários que estiveram envolvidos na assistência às vítimas do terror em Cabo Delgado. Foram, para tal, usados barcos, caminhões e aeronaves do Serviço Aéreo Humanitário da ONU (UNHAS), gerido pelo PMA.

“Foi um incrível esforço humanitário conjunto das agências irmãs da ONU, o PMA, UNICEF e OIM, em estreita coordenação com o Governo de Moçambique”, reconheceu  Antonella D’Aprile, representante do PMA.

O acesso e a segurança em áreas mais remotas continuam a ser um desafio para os actores humanitários em Cabo Delgado. A situação actual tem limitado a prestação de ajuda a algumas das populações mais vulneráveis.  De acordo com a OIM, desde 2017, mais de 730 mil pessoas foram deslocadas devido ao conflito em Cabo Delgado.

“Nesta situação de conflito e deslocação, os mais vulneráveis ​​precisam do nosso apoio e são as mulheres e as crianças”, disse a representante do UNICEF Maria-Luisa Fornara. “Os kits de emergência irão prevenir doenças potencialmente fatais, melhorar o estado nutricional das crianças e, em geral, permitir uma vida mais digna e segura”, acrescentou Maria-Luisa Fornara.

A distribuição de kits de ajuda pelas agências da ONU foi uma operação que se baseou em longas negociações para o acesso humanitário e apoio do Governo de Moçambique e de outras ONG e organizações da sociedade civil já actuantes no terreno. Este Plano de Resposta Conjunta aliviará, temporariamente, o sofrimento de milhares de pessoas deslocadas internamente em algumas das áreas mais afectadas da província de Cabo Delgado.

As agências da ONU asseguram estar comprometidas em fornecer uma resposta rápida para apoiar as pessoas mais vulneráveis em colaboração com os parceiros e apelam à comunidade doadora para um apoio contínuo.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos