O País – A verdade como notícia

Música e mariscos dividem mesmo espaço

A música, esta, será apresentada pela cantora Tchakaze. A Melhor Voz Feminina do Ngoma Moçambique vai, mais uma vez, cantar “Nkata” para as mulheres violentadas nos seus lares ou onde for. E por que não para os homens? Esta voz que vai alargando os seus caminhos nos últimos tempos vai cantar “não à violência doméstica” para ambos sexos, até porque os mentores da violência, como diz o outro, são os interlocutores válidos.

O convite a Tchakaze a este evento é mesmo que mostrar que o evento não é apenas de gastronomia, como também de consciencialização. Aliás, nada melhor que alegrar o estômago e a consciência ao mesmo tempo. 
Entretanto, a sua actuação não se prende apenas a esta música. Sucessos como “Ximbvembu” e “Guitarra de Latinha”, seus últimos singles, são músicas que vão incorporar o seu repertório ao vivo.

O momento cultural não se vai prender só na música, a declamação da poesia, exposição de artes plásticas, a feira do disco e do livro vão tornar o evento cada vez mais plural.

O segundo momento do Festival de Mariscos começa às 18h00 e é dedicado ao “karaoke” e “after party”. Nesta fase que sugere mais animação, o Dj Faya é o artista que vai assumir o controlo da festa. 

O Festival de Mariscos passa, a partir deste fim-de-semana, a ser um evento mensal, onde as artes, com destaque para a gastronomia, vão traduzir aquilo que é a cultura moçambicana, afinal este é o principal objectivo do evento.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos