O País – A verdade como notícia

Muita poeira

A Associação Black Bulls e Costa do Sol empataram, este domingo, a duas bolas no jogo de destaque da jornada 10 do Moçambola-2021. Os “canarinhos” contestaram a arbitragem de Simões Guambe, que alegadamente deixou de apitar uma grande penalidade a seu favor. No Chiveve, num jogo polémico e marcado pela contestação por parte dos “alvi-negros”, o Ferroviário da Beira venceu o Desportivo Maputo (1-0) com golo “fantasma” de Dayo.

Comboio apitou duas vezes… mas não foi suficiente para “abater” os “touros”! Centro das atenções da jornada 10 do Moçambola-2021, o duelo Costa do Sol vs Black Bulls produziu quatro golos, emoções e contestações por parte dos “canarinhos” em relação ao trabalho do árbitro Simões Guambe.

O Costa do Sol reclamou o facto de Simões Guambe ter feito vista grossa a uma grande penalidade a seu favor. Feitas as contas, segundo empate da Associação Black Bulls no Moçambola que se mantém na liderança da prova com 26 pontos. Os “canarinhos” estão na sétima posição com 14 pontos.

No Caldeirão do Chiveve, mais do mesmo: os ânimos subiram de tom com a validação de um golo polémico de Dayo (o sétimo na prova) mesmo ao cair do pano (90+5). A bola esbarrou no poste da baliza de Victor, morrendo depois nas mãos do guarda-redes “alvi-negro” ficando a dúvida se a “pelota” terá mesmo entrado.

O que é certo é que a decisão de Artur Afinar, em validar o golo dos “locomotivas” do Chiveve, deixou agastados os jogadores do Desportivo Maputo que se recusaram, por instantes, a voltar ao campo depois de se terem “instalado” no banco técnico.

Com a derrota, polémica, o Desportivo Maputo continua na zona de aflição (12ª posição com sete pontos).

Polémica à parte, a vitória suadíssima do Ferroviário da Beira coloca a equipa de Akil Marcelino na segunda posição com 22 pontos, em troca com o homónimo de Maputo que caiu em Nampula.

Chegou, viu, venceu e tirou os “axinenes” da zona de despromoção. Segundo jogo, segunda vitória de Nelson Santos no comando técnico do Ferroviário de Nampula. Facto: pela primeira vez, em dez jornadas, os “locomotivas” de Nampula ganharam um jogo no campeonato esta temporada. Há, pois claro, sempre uma primeira vez na vida.

No Santuário 25 de Junho, o Ferroviário de Nampula bateu o seu homónimo de Maputo (1-0) com golo solitário de Salas aos seis minutos.

Santos travou, note-se, um registo interessante de cinco vitórias consecutivas do Ferroviário de Maputo que mantém uma animada perseguição ao líder Black Bulls.

O Estádio Municipal de Lichinga continua a ser um “inferno” para os conjuntos que para lá se deslocam. Que o diga o Ferroviário de Nacala, que sexta-feira última caiu aos pés do seu homónimo de Lichinga (perdeu por 2-1), no duelo que abriu a jornada 10 do Moçambola.

Sexta vitória da equipa de Antoninho Muchanga que vale, para já, a permanência no “top 5” do campeonato nacional de futebol. Sinais de alarme, pois claro, para o Ferroviário de Nacala que averbou a quinta derrota que coloca a equipa a roçar a zona de despromoção (11ª posição com apenas nove pontos).

Os próximos dias serão decisivos para Antero Cambaco, treinador do Ferroviário de Nacala, até porque crescem a cada jornada os tons de contestação ao seu trabalho por parte dos adeptos do clube.

Num jogo em que deu a cambalhota no marcador, a União Desportiva do Songo foi ao canavial bater o Incomáti por 2-1. Lau King voltou a ser decisivo, marcando o golo que ditou a quarta vitória dos “hidroeléctricos” que se encontram na sexta posição com 16 pontos. O conjunto de Danito Nhamposse é nono classificado com 11 pontos.

No Alto Massaca, o Matchedje de Mocuba quase que colocava em sentido Victor Mayamba e seus pupilos. Num duelo que terminou empatado a duas bolas, o Matchedeje de Mocuba chegou mesmo a ter a vencer (2-1) tendo valido o golo de Djongue, aos 72 minutos, para evitar males maiores. Não foi desta que o Matchedeje de Mocuba alcançou a primeira vitória no Moçambola.

Na Soalpo, continua o calvário. Em casa, o Textáfrica de Chimoio não teve argumentos para travar a Liga Desportiva de Maputo e dar sinais de recuperação na tabela classificativa, empatando a uma bola na jornada 10.

Os “fabris do planalto” estão cada vez mais sufocados, ocupando a penosa 13ª posição com seis pontos, enquanto a Liga Desportiva de Maputo ocupa a 8ª posição com 12 pontos.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos