O País – A verdade como notícia

Mortes por “Chalane” aumentam para seis e há 1.800 famílias afectadas em Manica 

Subiu de três para seis o número de mortes em consequência da tempestade tropical Chalane, que na quarta-feira fustigou a província de Manica. O fenómeno prejudicou ainda cerca de 1.800 famílias, de acordo com o balanço provisório do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC).

Dos seis óbitos, quatro aconteceram na cidade de Chimoio, sendo três por afogamento e um por electrocução. No distrito de Gondola houve também duas mortes por afogamento, segundo o director-geral adjunto do INGC, Belé Monteiro.

Além de óbitos e danos materiais em Gondola e Chimoio, aconteceram estragos no distrito de Macate. Belé Monteiro explicou que na quarta-feira o INGC registou 68 famílias assoladas pela tempestade “Chalane”. Até ao princípio da tarde desta quinta-feira, o número subiu para cerca de 1.800 famílias que ficaram parcial e totalmente se habitações.

Não são apenas casas que foram arrasadas pelo fenómeno, sobretudo em Gondola. “Extensas áreas agrícolas” não escaparam da força do evento e da chuva intensa.

O dirigente disse que as autoridades continuam no terreno a avaliar os danos causados pela tempestade “Chalane”. Monteiro salientou que a mobilização da população para deixar as zonas de risco foi crucial para minimizar o impacto do fenómeno.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos