O País – A verdade como notícia

Morreu o último rinoceronte-branco do norte

O último rinoceronte-branco do norte macho morreu no Quénia, aos 45 anos, devido a "complicações relacionadas com a idade", anunciaram hoje investigadores, citados pelo Notícias ao Minuto.

Em comunicado, a organização de proteção da vida animal OI Pejeta Conservacy, no Quénia, informou que o rinoceronte foi sujeito a eutanásia na segunda-feira, depois de o seu estado ter "piorado significativamente" e ele já não conseguir ficar de pé.

Os músculos e ossos do animal estavam a deteriorar-se e tinha desenvolvido extensos ferimentos na pele.

O rinoceronte estava envolvido num importante esforço para salvar subespécies da extinção, com a ajuda de duas fêmeas.

Os especialistas afirmaram que Sudan, como era conhecido o animal "apaixonou muitos com a sua dignidade e força". Os seus tratadores descreviam-no como afável.

O último exemplar macho da sua subespécie nasceu no Sudão, foi levado para um jardim zoológico na República Checa e foi transferido para o Quénia em 2009.

O rinoceronte "contribuiu de forma significativa para a sobrevivência da sua espécie, já que procriou com duas fêmeas", indicou a organização.

Além disso, na segunda-feira foi recolhido material genético, que poderá ser utilizado em tentativas de reprodução desta subespécie através de tecnologias celulares avançadas, acrescentaram os especialistas.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos