O País – A verdade como notícia

Morreu General Mateus Ngonhamo

Morreu, na madrugada de hoje, vítima de doença, o Tenente-General da Renamo, Mateus Ngonhamo. Depois de ter assumido várias missões no seu partido, foi indigitado Vice-chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas de Moçambique, no âmbito da implementação do Acordo Geral de Paz de Roma.

Mateus Ngonhamo ingressou nas fileiras da Renamo em 1979, tendo ocupado várias funções, entre as quais a de Chefe de Inteligência Militar do então movimento. Depois do fim da guerra, no âmbito da implementação do Acordo Geral de Paz de Roma, foi integrado no Exército unificado como Vice-chefe de Estado Maior General das Forças Armadas de Moçambique.

Ao lado de Lagos Lidimo, o então Chefe do Estado-Maior General liderou o exército por mais de 10 anos, tendo sido exonerado em 2008 pelo então presidente Armando Guebuza.

Em comunicado de imprensa, o Presidente da Renamo, Ossufo Momade manifestou, em nome do partido, condolências à família enlutada.

A Renamo descreve Ngonhama como uma figura que lutou para a despartidarização do exército.

“Na Renamo, desempenhou várias funções, tendo ocupado várias patentes, até chegar a de Tenente-General. Desempenhou um grande papel na formação do novo exército. Ele esteve na comissão que formou as actuais Forças Armadas de Defesa de Moçambique. Graças ao seu empenho, foi-lhe confiada a tarefa de ser o Vice-chefe do Estado-Maior General, em resultado do Acordo Geral. Era uma pessoa engajada na defesa da pátria e sempre defendeu a despartidarização do nosso exército”, descreveu André Majibire.

Em 2017, na mesma cerimónia em que o Presidente da República, Filipe Nyusi, foi condecorado com a medalha Liderança Militar Grau de Ouro, Ngonhamo recebeu a medalha de liderança Militar Grau de Prata pelo seu papel na liderança do exército depois do Acordo de Paz.

Através da sua página no facebook, o Presidente da República, Filipe Nyusi, destacou Mateus Ngonhamo como tendo sido “uma figura incontornável da história das Forças Armadas de Defesa de Moçambique, pelo seu contributo na pacificação do país e na consolidação da instituição militar moçambicana.

Filipe Nyusi considerou ainda que a “sua memória perdurará nas actuais e futuras gerações de militares do país”.

Ainda na sua mensagem de condolências, o Chefe de Estado disse: “curvo-me em memória do malogrado, em meu nome pessoal e das Forças de Defesa e Segurança e endereço as minhas mais sentidas condolências à família enlutada e que a sua alma descanse em paz”.

 

“UMA FIGURA INCONTORNÁVEL DA HISTÓRIA DAS FDS”, FILIPE NYUSI

O Presidente da República, Filipe Nyusi, destaca Mateus Ngonhamo como “uma figura incontornável da história das Forças Armadas de Defesa de Moçambique, pelo seu contributo na pacificação do país e na consolidação da instituição militar moçambicana.

Filipe Nyusi considera que a “sua memória perdurará nas actuais e futuras gerações de militares do país”,

Numa mensagem de condolências divulgada na sua página oficial da rede social Facebook, Nyusi escreve: “Curvo-me em memória do malogrado e em meu nome pessoal e das Forças de Defesa e Segurança endereço as minhas mais sentidas condolências à família enlutada e que a sua alma descanse em paz”.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos