O País – A verdade como notícia

Morgue do HCB regista terceiro caso de troca de corpos em menos de 12 meses

Foto: Diário Económico

Troca de corpos na morgue do Hospital Central da Beira (HCB) gerou, na quinta-feira, desgaste de familiares de uma idosa, que tiveram que adiar a cerimónia fúnebre. Estes queixam-se de desorganização dos gestores locais.

Não é a primeira vez em que a morgue do Hospital Central da Beira regista troca de corpos. Na quarta-feira, o infortúnio abalou familiares de uma idosa cujo corpo caiu nas mãos de uma outra família.

A situação desgastou os parentes da malograda, uma vez que já estavam prestes a realizar a respectiva cerimónia fúnebre. Quando foram à morgue e quando menos esperavam, souberam que o corpo do parente não estava no local.

“Dizem que houve uma falha ao entregar o corpo a uma das famílias que também esteve aqui presente, para seguir à realização do funeral”, disse Filipe Maurício, parente da malograda.

Entre dor e desilusão, Maria de Sousa procurou saber do paradeiro do corpo da sua familiar, mas não encontrava resposta.

“Tramitamos toda a documentação fúnebre, mas disseram-nos que o corpo não está aqui. Para onde foi o corpo, para onde foi?”, questionava Maria de Sousa, em desespero.

E não era para menos. Os familiares queixaram-se de desorganização na morgue do Hospital Central da Beira e pediram responsabilização pelos danos.

“Não irei para casa sem o corpo da minha avó. Queremos justiça”, clamou Isabel Tonela.

Luiz Augusto é viúvo da malograda e não esconde a sua indignação pelo incidente e confessou que a situação atiçou ainda mais a sua dor.

“Quando chegamos à morgue, abrimos aqui e acolá, mas, infelizmente, nunca encontrávamos o corpo da minha esposa e ninguém conseguia explicar o porquê”, desabafou Luiz Augusto.

O vereador da área de Urbanização e Equipamentos, Joaquim Manuel, reconheceu ter havido uma falha na entrega de corpos e garantiu que o Município da Beira vai responsabilizar-se pelo erro.

A família, que recebeu o corpo errado, recusou-se a prestar declarações. Entretanto, o “O País” sabe que é a terceira vez em que ocorre troca de corpos em menos de 12 meses na morgue do Hospital Central da Beira.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos