O País – A verdade como notícia

Moradores queixam-se de ocupação de terra pelas famílias reassentadas

Segundo os moradores de Boquisso, Município da Matola, a suposta ocupação dos seus terrenos iniciou na quinta-feira, quando uma equipa do Conselho Municipal e do Instituto de Gestão de Calamidades foi deixar lonas na zona do reassentamento para distribuir às famílias.

A população afirma que a ocupação sucedeu sem aviso prévio das autoridades locais, daí a sua indignação.

Parte destas famílias depende, exclusivamente, daquelas terras para a prática da agricultura, que tem servido como fonte de alimentação e de rendimento.

Os alegados ocupantes, oriundos de várias zonas abrangidas pelas cheias, dizem que foi o Conselho Municipal da Matola que lhes atribuiu os espaços e não percebem a reacção dos nativos. Aliás, estas famílias temem que o pior possa acontecer.

O secretário do bairro esclarece que o problema surge pelo facto de não se ter tido em conta as limitações entre os bairros Boquisso e Muhalaze, este último previsto para reassentar as famílias afectadas pelas cheias.

A fim de ter esclarecimento sobre o assunto, a O País contactou a edilidade da Matola, mas esta afirmou que vai se pronunciar oportunamente. 

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos