O País – A verdade como notícia

Setembro foi o mês com mais mortes por Coronavírus em Moçambique

 

No mês de Setembro houve 38 mortes por causa da COVID-19 no país, num total de 4.812 infectados. Foi o período mais negro desde o anúncio do primeiro paciente a 22 de Março pelo Ministério da Saúde. A taxa de letalidade atingiu 0,8%, também a maior desde sempre.

Dados sobre a análise epidemiológica semanal do Ministério da Saúde, feita esta segunda-feira, colocam também o mês de Outubro como o que foi pior desde que internamente se fala da COVID-19. Houve 4.141 casos da doença e registou-se mais hospitalizações, 194, comparativamente aos mesmos anteriores.

Em Março, o país tinha oito pacientes infectados. O número aumentou para 69 em Abril e 178 em Maio, data em que havia duas mortes, três internamentos e a taxa de letalidade apontava para 1.1%.

Em Junho, a situação agravou-se, tendo o país passado de quatro óbitos e 20 hospitalizações, num total de 635 pacientes com o novo Coronavírus, para cinco mortes e 21 internamentos em 975 casos em Julho.

Em Agosto, houve 12 mortes em 2.052 pacientes com COVID-19.  Este mês de Novembro, já ocorreram sete mortes e 53 internamentos num total de 954 indivíduos com a doença.

Ainda eta segunda-feira, o Ministério da Saúde fez a actualização da informação sobre a COVID-19 no país e no mundo. Disse houve mais 54 casos totalmente recuperados, sendo “28 na cidade de Maputo, 22 na Zambézia e quatro em Inhambane. Todos são indivíduos de nacionalidade moçambicana”.

“Actualmente, 11.659 (84.3%) indivíduos previamente infectados pelo novo coronavírus estão totalmente recuperados da doença”, disse a instituição.

Sobre as novas infecções, mais 55 pessoas foram diagnosticadas positivo para COVID-19.

Dos novos casos ontem reportados, 54 são de nacionalidade moçambicana e um é estrangeiro, de nacionalidade. Todos são resultantes de transmissão local.

Assim, o país tem cumulativamente 13.823 casos positivos registados, desde Março passado, dos quais 13.519 de transmissão local e 304 importados.

“Em Moçambique existe, até o momento, um cumulativo de 515 pacientes internados, dos quais 66 estão actualmente internados nos centros de internamento para pessoas com a COVID-19 e em outras unidades hospitalares (92.4% destes pacientes encontram-se na Cidade de Maputo)”, disse o Ministério da Saúde.

Dos pacientes ainda internados, 46 são do sexo masculino e 20 são do sexo feminino. Destes, dois estão na faixa etária de 5-14 anos, igual número na faixa etária de 15-24 anos de idade, oito são jovens entre os 25-34 anos de idade, nove na faixa etária de 35-44 anos de idade, 17 estão na faixa etária de 45-59 anos de idade e 28 são indivíduos com idade igual ou superior a 60 anos.

“Dos indivíduos internados, 29 estão em estado clínico moderado, 34 em estado clínico grave e três em estado clínico crítico”, refere a instituição, lamentando o facto de “maior parte dos pacientes com critérios de internamento chegarem aos hospitais (públicos e privados) numa fase tardia da doença, tornando-se difícil reverter o cenário”.

Os pacientes internados padecem de patologias crónicas diversas, sendo que as mais frequentes são a Hipertensão arterial e as diabetes.

Moçambique regista um cumulativo de 99 óbitos devido à COVID-19 e 2.061 casos activos.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos