O País – A verdade como notícia

Moçambique pode jogar acesso ao Afrobasket no Ruanda

Moçambique poderá disputar, de 27 a 29 de Novembro próximo, a fase de qualificação para o Campeonato Africano de Basquetebol  senior masculino em Kigali, Ruanda,  e não Senegal como estava  inicialmente previsto,  devido à situação da COVID-19. A FIBA-África pondera alterar o local da competição face aos elevados casos de Covid-19 no Senegal.

A primeira janela do grupo “B” da fase de apuramento ao Campeonato Africano de Basquetebol em seniores masculinos, do qual fazem parte Moçambique, Angola e Quénia está sediada em Dakar, Senegal, mas o crescente número de casos de Covid-19 pode desviar a prova para o Ruanda.
À esta altura, Senegal conta com um cumulativo de 13384 pessoas infectadas, 279 mortes e 9091 recuperados.
Estes números não deixam tranquila a FIBA-África que já pensa numa alternativo para viabilizar a prova qualificativa.
“O grupo de Moçambique devia ir jogar ao Senegal, ninguém quer ir para Dakar, pois eles não garantiram essas condições e o interessante é que os próprios senegaleses que jogam na França e nos Estados Unidos da América também não querem ir jogar ao Senegal”, começou por dizer Aníbal Manave, presidente da FIBA-África.
Selecções fortes com a inclusão dos atletas que evoluem em campeonatos na Europa e nos EUA é o desejável para que a janela de qualificação para o Afrobasket seja extremamente competitiva.
Mas este desejo pode cair por terra, até porque há receio de alguns clubes na Europa e EUA não dispensarem atletas africanos com receio de contaminação da Covid-19 por falta de condições sanitárias nos respectivos países.
“Há atletas moçambicanos que estão fora do país que vão ser selecionados e os clubes não vai autorizar que  eles venham para aqui, porque fazer exactamente esta pergunta: vais para lá, para ir treinar aonde? Com quem? E qual é o protocolo que existe aqui em Moçambique? Portanto, não há garantias de que os atletas que estão lá fora vão competir nas nossas selecções porque as condições não estão criadas, pelo que temos que implementar esse protocolo sanitárias”, observou.
A Federação Moçambicana de Basquetebol (FMB) diz estar atenta a estas movimentações face à pandemia da Covid-19. “Recebemos essa comunicação, aventa-se essa hipótese de passar para o Ruanda que está em melhores condições em termos de prevenção da Covid-19, mas é preciso percebermos que os aspectos relativos a esta doença evoluem a cada dia”, disse Roque Sebastião para depois acrescentar que “é um desafio e é muito importante essa abordagem a essa altura tendo em conta que estamos focados em que a nossa selecção nacional participe, não sabemos se amanhã manteremos essa posição, mas é importante dizer que não sabemos se manhã manteremos a mesma posição, mas temos vontade de participar na primeira janela de apuramento ao Afrobasket e em breve tomaremos uma decisão”, disse Roque Sebastião, presidente da Federação Moçambicana de Basquetebol

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos