O País – A verdade como notícia

Moçambique passa a usar sistema informatizado de gestão de florestas

O Banco Mundial estima que Moçambique perde, anualmente, 256 mil hectares de florestas. E as autoridades moçambicanas lançaram, esta segunda-feira, em Maputo, o Sistema de Informação Florestal (SIF) que vai promover a transparência, o cumprimento da legislação e a informatização da informação florestal.

Estima-se que Moçambique possui 31,7 milhões de hectares de florestas, com pelo menos 449 espécies de árvores, correspondentes a um volume de 800 milhões de metros cúbicos de madeira.

O representante do Banco Mundial, que esteve na Reunião de Divulgação dos Resultados da Avaliação dos operadores florestais e da governação florestal em Moçambique, Ivan Remane, mencionou que o desmatamento para dar lugar à agricultura, exploração ilegal da madeira, incluindo a exploração de florestas para a produção de lenha e carvão são apontados, pelo Banco Mundial, como factores que contribuem para perda de centenas de hectares de florestas no país, e aquela instituição financeira avança com injecção de mais dinheiro para proteger os recursos naturais.

“Neste contexto, o Banco Mundial, através do projecto de investimento florestal, vulgo Mozffet, tem apoiado institucionalmente o sector de florestas. O Banco Mundial, nos últimos anos, aumentou o seu apoio ao Governo de Moçambique, contando, actualmente, com cerca de 900 milhões de dólares com diferentes projectos geridos pelos Ministérios da Terra e Ambiente; da Agricultura e Desenvolvimento Rural; e das Pescas, do Mar e Águas Interiores, com vista à promoção e gestão sustentável dos recursos naturais, incluindo florestas.”

E para melhorar a gestão das florestas, no que diz respeito ao maneio e uso sustentável, garantindo a uniformização e alinhamento dos processos operativos, foi lançado o Sistema de Informação Florestal (SIF) que começa a funcionar no próximo dia 1 de Abril, disse o vice-ministro da Terra e Ambiente, Fernando Bemane de Sousa.

“Todos os operadores florestais, as indústrias, as unidades de fiscalização e monitoria das cadeias de valor dos produtos florestais estarão usufruindo deste sistema. A população rural, representada pelas comunidades rurais que vivem em torno de áreas florestais, terão, com o SIF, maior transparência dos benefícios e direitos a si concedidos”, garantiu.

E uma das inovações da informatização e uniformização da informação florestal é a emissão de licenças florestais em tempo real, de acordo com a demonstração feita pela técnica do Ministério da Terra e Ambiente.

O sistema de informação florestal conta com suporte técnico da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), segundo explicou o representante daquele organismo das Nações Unidas, Hernâni F. Coelho Da Silva. “Então, neste sistema, podemos ter, em tempo real, capturar e gerir as informações, no sentido de garantir maior empenho na gestão dos recursos florestais”.

Ainda esta segunda-feira, foi divulgada a avaliação de operadores florestais e a governação florestal.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos