O País – A verdade como notícia

Moçambique no Mundial de boxe pela primeira vez

É um dado histórico. Moçambique vai marcar presença, pela primeira vez, num campeonato do mundo de boxe em femininos. O evento deste ano será de 11 a 24 de Novembro próximo em Nova Deli, na Índia.

Rady Gramane, Alcinda Panguane e Benilde Macarringue, três das melhores atletas nacionais nesta modalidade, são as escolhidas para este primeiro passo. As pugilistas far-se-ão acompanhar pelo seleccionador nacional, Lucas Sinoia, sendo que a Federação Moçambicana de Boxe prevê integrar nesta comitiva um elemento da direcção.

Rady Gramane é o grande nome do boxe feminino nacional actualmente, a atleta foi medalha de bronze nos jogos africanos de Congo Brazaville em 2015, para além de ser a actual campeã nacional dos 75 Kg.

Em 2017, as três atletas foram medalha de ouro no regional de boxe da zona IV, havido na cidade de Maputo.

Alcinda Panguane disputa os 69 Kg, sendo que Benilde Macarringue combate nos 51kg.

As pugilistas, todas pertencentes à academia Lucas Sinoia, já trabalham há três semanas, com vista à sua participação no torneio.

Os trabalhos da “selecção nacional” decorrem na Escola Secundaria Francisco Manyanga, Cidade de Maputo.

De resto, este é o melhor momento do boxe nacional. Em 2017 e, também, pela primeira vez no período pós independência, Moçambique sagrou-se campeão regional da zona IV de boxe ao conquistar seis medalhas de ouro.

Naquele torneio, para além destas três pugilistas, Helena Bagão (48-51kg), Augusto Mathule (75%) e Alfredo Muzimba (91kg) conquistaram medalhas de ouro somando seis, de um total de 14 ganhas.

Esta será a décima primeira edição do campeonato do mundo de boxe. O evento acontece a cada dois anos. Em 2016, teve como sede a cidade de Astana, no Cazaquistão.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos