O País – A verdade como notícia

Moçambique e Vietname fecham acordos 

Os Governos de Moçambique e Vietname, assinaram dois acordos, no domínio da aviação civil que tem por objectivo a prestação de serviços. Quanto à conservação da selva, os dois países pretendem reforçar o controlo da caça furtiva e do tráfico de produtos da fauna e flora
Momentos depois de testemunhar a oficialização dos acordos, no palácio do governo vietnamita, o primeiro-ministro, Carlos Agostinho do Rosário, reconheceu a importância dos instrumentos na dinamização da cooperação entre os dois países. “Testemunhamos a assinatura de acordos importantes em duas áreas, nomeadamente a de serviços aéreos, que tornará os dois países mais próximos. Quero também felicitar o acordo de protecção da natureza, pois a fauna bravia quer em Moçambique, quer no Vietname, deve beneficiar as gerações de hoje e do amanhã”, afirmou Do Rosário, citado pela Agência de Informação de Moçambique (AIM).
O acordo sobre a conservação da selva visa essencialmente promover a cooperação mútua na gestão, conservação e protecção da flora e fauna bravia, em particular o controlo da caça furtiva e tráfico de produtos da fauna e flora; cumprimento da convenção sobre o comércio internacional de espécies de fauna e flora selvagens ameaçadas de extinção.
Está também previsto, no âmbito do acordo, intercâmbios de informação sobre as boas práticas e pesquisas na área de conservação da fauna e flora; melhoria da participação das comunidades locais e outros intervenientes na protecção dos recursos florestais; e, ainda, transferência de tecnologias.
Moçambique e o Vietname têm estado a reforçar os laços de cooperação no combate ao comércio ilegal de espécies de fauna bravia, face ao recrudescimento do tráfico ilegal de marfim e cornos de rinoceronte na África Austral e na Ásia.
Já o acordo selado no domínio da aviação civil tem por objectivo a prestação de serviços nos sobrevoos e escalas técnicas. Os dois acordos foram rubricados pela vice-ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Nyeleti Mondlane, e pelos vice-ministros das pastas da Agricultura, e dos Transportes e Comunicações do executivo de Hanói.
Segundo Carlos do Rosário, as partes elegeram, por outro lado, várias áreas, entre as quais a agricultura, educação, recursos minerais, hidrocarbonetos e gestão de desastres naturais para reforçarem a cooperação. Na agricultura, concordou-se que o Vietname devia continuar a cooperar na produção, investigação e transferência de tecnologias, principalmente na cultura do arroz. O Vietname está a implementar projectos de produção do arroz em Nicoadala, na província central da Zambézia. “Vietname tem oferecido bolsas de estudo a moçambicanos e pretendemos que mais concidadãos sejam formados no Vietname”, afirmou.
Aproximadamente 40 bolseiros moçambicanos frequentam, actualmente, diversos cursos no Vietname, com destaque para agricultura, medicina, veterinária, processamento de alimentos, e ciências náuticas.
Ainda ontem, Carlos Agostinho do Rosário manteve um encontro de cortesia com o secretário-geral do partido comunista do Vietname, Nguyen Phu Trong, e reuniu-se com a comunidade moçambicana no Vietname, maioritariamente constituída por estudantes. Quarta-feira, penúltimo dia da visita, o governante moçambicano deverá visitar uma fábrica de produção de sementes de arroz, a sede da Viettel e reunir-se com o corpo diplomático de países africanos acreditados no Vietname.
Primeiro-Ministro convida empresários vietnamitas a investirem em Moçambique
O primeiro-ministro moçambicano convidou, ontem, os empresários do Vietname a investirem em Moçambique. Usou a empresa Movitel como exemplo do investimento vietnamita em Moçambique e diz que os homens de negócios daquele país devem seguir o exemplo. “Dissemos que vamos acarinhar as actividades da Movitel, para que outros investimentos vietnamitas ocorram em outras áreas de desenvolvimento. Apelamos ao povo e empresariado do Vietname para seguirem o exemplo da Viettel, investindo em Moçambique, país que goza de um clima de paz e possui recursos naturais e humanos à altura de viabilizar os investimentos”, sublinhou Carlos do Rosário. Por sua vez, o primeiro-ministro vietnamita, Nguyen Xuan Phuc, congratulou os esforços empreendidos pelo Governo na dinamização do crescimento económico de Moçambique.
 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos