O País – A verdade como notícia

Moçambique deixa de importar açúcar branco em 2018

O país começa, próximo ano, a produzir açúcar branco suficiente para responder as necessidades actuais. A capacidade resulta da construção de uma refinaria que será inaugurada em Outubro do próximo ano. 
A construção da nova indústria que vai produzir açúcar branco arrancou oficialmente, hoje, em Xinavane, distrito da Manhiça, província de Maputo.

O empreendimento terá a capacidade para produzir 90 mil toneladas de açúcar branco, quantidade suficiente para eliminar o actual défice coberto por importações que ronda em 40 mil toneladas de açúcar branco.
Actualmente, apenas uma das quatro açucareiras do país produz açúcar branco. Esta localiza-se em Marromeu, província de Sofala e tem uma capacidade para produzir 20 mil toneladas de açúcar.

Coube ao Primeiro-ministro lançar a primeira pedra do empreendimento que vai custar 2.5 mil milhões de dólares. Carlos Agostinho do Rosário diz que este é mais um sinal de que os investidores ainda confiam em Moçambique.

Por seu turno, o ministro da Indústria e Comércio anunciou o fim das importações e o início de exportações de açúcar branco para a Europa.
Segundo o administrador delegado da Tongaat Hulett, empresa proprietária da açucareira de Xinavane, para abastecer a nova refinaria, será necessário aumentar a produção de cana-de-açúcar em mais de três mil hectares e o campo de produção vai empregar, em tempos de pico, mais de duas mil pessoas.

Entretanto, a nova refinaria vai ter 40 trabalhadores moçambicanos que já estão a ser formados em Durban, na África do Sul.

Actualmente, a açucareira de Xinavane emprega directamente 850 pessoas, mas aquela indústria cria, em termos globais, nove mil empregos em tempos de pico, incluindo agricultores privados.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos