O País – A verdade como notícia

Moçambique defronta Nigéria amanhã às 19h15

A selecção nacional de basquetebol sénior feminino defronta, esta sexta-feira, às 19h15 de Maputo, a Nigéria em jogo da primeira jornada do grupo "B" do "Afrobasket" 2017.

Reecontro

A 1 de Outubro de 2015, em Yaoundé, nos Camarões, protagonizaram um jogo de "loucos" nos quartos-de-final do "Afrobasket" com as nigerianas a vencerem por 71-66.

Naquela magnífica quanto decepcionante tarde, Odélia "Mafa" Mafanela, com um duplo-duplo (18 pontos e 11 ressaltos), e Deolinda Carmen Ngulela, com 16 pontos e quatro assistências, lideraram as "Samurais" num jogo disputado até ao limite.

Do outro "lado da barricada", estava uma inspirada Joyce Eziaku Ekworomadu que contabilizou 20 pontos, quatro ressaltos e três assistências, conduzindo, desta forma, as "D’Tigers" para às meias-finais do certame.

Esta sexta-feira, às 19h15 de Maputo, no Palais des Sports Salamatou Maiga, recinto com capacidade para 5001 espectadores, Moçambique e Nigéria voltam a travar argumentos na quadra num jogo descrito pela FIBA-Africa entre duas equipas "muito fortes ".

Com o regresso de Leia "Tanucha" Dongue, uma das melhores atletas de África, e a inclusão de Tamara Seda, jogadora do UTEP Miners dos EUA, e Odélia Mafanela, segunda melhor marcadora do país no "Afrobasket" 2015 com média de 12.2 pontos/jogo, a tabela moçambicana fica mais forte e com maior disponibilidade física.

Aspecto que poderá ser determinante, Anabela Cossa, jogadora que também falhou o último "Afrobasket", está de regresso e constitui um valor acrescentado nos tiros exteriores.

O que, perfeitamente e quando estão com os níveis de confiança elevados e "mãos quentes", Iliana Ventura e Elizabeth Pereira fazem muito bem.

Defensivamente, Rute Muianga, polivalente, é certamente uma jogadora a ter em conta não só por emprestar qualidade mas também pela sua experiência.

Na armação do jogo, Amélia Massingue, que disputou o seu último "Afrobasket" em 2009, em Antananarivo, Madagáscar, é uma das escolhas de Nazir "Nelito" Salé que conta ainda com a "newcomer" Aquila Mucubaquire.

Novos valores como Eleutéria Lhavanguane e Chanaya Pinto podem ter espaço para mostrar o talento que, nas seleções de formação, emprestaram.

Lideradas pela “power forward” Evelyn Akhator, atleta que em Março último foi selecionada como terceira escolha do "draft" da WNBA pelo Dallas Wings da WNBA, as nigerianas querem repetir a proeza de 2003 e 2005 quando conquistaram o "Afrobasket".

Contam, outrossim, na sua estrutura, com a experimentadíssima Adaora Nnenna Elonu, jogadora do CB Avenida da Espanha.

Influente no jogo da sua equipa, foi das melhores unidades no "Afrobasket " prova na qual constou do cinco ideal juntamente com a retirada Deolinda Ngulela, actual treinadora-adjunta da "Samurais".

Para além destas, há a destacar no adversário desta sexta-feira Sara Ogoke, extrem-base que representa o Celta Zorka da Espanha.

Formada na Liga Universitária dos EUA, NCAA II, destacou-se com uma média de 19 pontos e 9 ressalto/jogo durante três anos. Antes de chegar a Espanha, passou pelo First Bank da Nigéria e 1º de Agosto de Angola.

A Nigéria procura melhorar a sua performance de 2015 atingido a final nesta competição. Não será uma surpresa dada a determinação das jogadoras durante a fase de preparação em Orlando, Flórida, EUA, e em Lagos, Nigéria.

Quadro de jogos:

Sexta-feira

12h30

Senegal vs Guiné Conacry

14h45

RD Congo vs Egipto

17h00

RCA vs Costa do Marfim

19h15

Moçambique vs Nigéria

23h00

Mali vs Tunísia

01h15

Angola vs Camarões

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos