O País – A verdade como notícia

Moçambique com número mais baixo da COVID-19 após um Janeiro de cortar à faca

Registaram-se mais 312 pessoas com o novo Coronavírus e cinco mortes associadas à doença, em Moçambique, segundo a Direcção Nacional de Saúde Pública.

Volvidas cinco semanas de informes constrangedores no que às infeções, às hospitalizações e aos óbitos por COVID-19 diz respeito, o país volta a registar números diários tão baixos. No domingo, por exemplo, houve 488 pessoas com o vírus e nove mortes.

Os 312 indivíduos foram detectados num total de 1.838 submetidos a testes nas últimas 24 horas. A cidade de Maputo registou 128 infecções, seguida pela província de Cabo Delgado, com 57.

Nestas circunstâncias, o país tem, cumulativamente, 44.912 pessoas diagnosticadas com o novo Coronavírus, desde o anúncio do primeiro paciente a 22 de Março do ano passado. Destes cidadãos, 27.438 já estão livres da doença, 276 dos quais nas últimas 24 horas.

Analisando os dados fornecidos pelas autoridades sanitárias, o número de pessoas com resultado positivo à COVID-19 aumenta também em função da quantidade de testes realizados.

Durante todo o mês de Janeiro, o país foi vergastado pela pandemia de uma maneira jamais vista. As actualizações diárias do Ministério da Saúde causaram arrepios, eram horripilantes e faziam ranger os dentes.

A directora nacional adjunta de Saúde Pública, Benigna Matsinhe, disse aos órgãos de comunicação social, esta segunda-feira, que a COVID-19 matou mais cinco pessoas, sendo quatro homens e uma mulher, com idades entre 53 e 70 anos.

Quatro óbitos – ocorridos nas cidade de Maputo e província de Sofala – foram declarados no último domingo e um esta segunda-feira, elevando o total para 465 em todo o país, 361 dos quais na capital moçambicana.

As outras mortes aconteceram nas províncias de Gaza (12), Sofala (12), Tete (12) e Nampula (12). Zambézia e Inhambane registaram oito óbitos cada. Cabo Delgado, Manica e província de Maputo contam seis, cinco e duas mortes, respectivamente.

Em todo o país, 17.005 indivíduos ainda têm o novo Coronavírus no organismo.

Dois mil pacientes já foram internados desde o surto da pandemia em Moçambique. Neste momento, 318, entre eles crianças, continuam a lutar pela vida nos centros de internamento e em alguns hospitais.

O grosso dos doentes acamados são homens, 247, contra 71 mulheres. Oitenta e nove enfermos têm idades que variam de 45 a 59 anos de idade e 238 com acima de 60 anos.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos