O País – A verdade como notícia

Moçambique com mais 363 infecções e 14 óbitos por COVID-19

O Ministério da Saúde anunciou, esta segunda-feira, mais 14 óbitos em pacientes infectados pelo novo Coronavírus, 10 dos quais homens e quatro mulheres. Todos são de nacionalidade moçambicana, com idades que variam entre 49 e 84 anos. Houve ainda mais 363 indivíduos que testaram positivo à doença.

Os óbitos foram declarados entre os dias 9 e 25 de Janeiro corrente. Neste momento, o país tem 11.447 casos activos e 319 óbitos devido à COVID-19.

Relativamente aos 363 indivíduos que testaram positivo para COVID-19, o Ministério da Saúde destacou que 118 são da província de Maputo e 99 da cidade de Maputo.

Deste modo, o cumulativo, desde a data em que foi revelado o primeiro paciente, em Março de 2020, o país regista 32.781 casos positivos, dos quais 32.465 de transmissão local e 316 importados.

Em Moçambique já foram internados 1.407 pacientes, dos quais 224 continuam sob cuidados médicos nos centros de internamento e em alguns hospitais.

A Saúde anunciou mais 453 indivíduos totalmente recuperados da COVID-19. Destes, 451 são moçambicanos e dois estrangeiros. Actualmente, 21.011 (64.1%) pacientes já estão livres da doença.

O Ministério da Saúde considerou, no briefing com os órgãos de comunicação social, que os “últimos dias têm sido difíceis para o país na luta contra a pandemia da COVID-19. Temos registado um crescimento assinalável de novas infecções, pessoas em isolamento domiciliar, internamentos hospitalares e óbitos”.

No dia 31 de Dezembro, em Moçambique havia só 1.809 casos activos. Entretanto, “nos primeiros 25 dias do ano” recém-iniciado, foram “registadas 14.139 infecções, o que elevou para 11.447 o número de casos activos. Registámos 607 internamentos e 153 óbitos”.

Neste momento, 17.132 pessoas observam ainda a quarentena domiciliar e 2.931 são contactos de casos positivos em seguimento.

O Ministério da Saúde informou também que actualizou as normas sobre o uso de materiais de protecção por parte das crianças: de 0 a 5 anos de idade não há necessidade de usar nada. Crianças de 6 a 11 anos devem usar viseiras, enquanto as máscaras são para petizes de 12 anos em diante.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos