O País – A verdade como notícia

Missão da SADC lidera processo de reconstrução de Cabo Delgado

Foto: Presidência da República

Há algum desenvolvimento no processo de reconstrução de Cabo Delgado, zona fortemente fustigada pelo terrorismo. Reunida em cimeira extraordinária virtual, os Chefes de Estado e de Governo da SADC decidiram orientar o chefe da SAMIM a liderar a reconstrução da província.

“A cimeira orientou o chefe de missão para que, em colaboração com o República de Moçambique, coordene a implementação de um Plano abrangente de Reconstrução e Desenvolvimento Integrado de Cabo Delgado”, refere o comunicado do evento enviado à nossa redacção.

Na ocasião, a Troika da SADC decidiu mudar o cenário de actuação da SAMIM, de missão de desdobramento rápido para força multidimensional, ou seja, do cenário seis para o cinco. Segundo a nota que temos vindo a citar, a força conjunta passa, assim, a ter “um mandato robusto”.

Uma força com capacidade de desdobramento rápido, de acordo com fontes entendidas na matéria, contactadas pelo jornal “O País”, tem a missão exclusiva de combater o inimigo, enquanto uma força multidimensional inclui elementos cuja missão é fazer trabalho de inteligência e/ou reconstrução.

São decisões tomadas a cerca de um mês antes do fim da missão da SAMIM. Lembre-se que, em Janeiro deste ano, a Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC) decidiu, em sessão ordinária, em Malawi, pela prorrogação da missão regional de combate ao terrorismo no norte por mais três meses.

As decisões da Troika da SADC podem, em parte, ser o reflexo da aparente melhoria das condições de segurança na província de Cabo Delgado, daí que a cimeira felicitou a liderança da SAMIM pelo sacrifício e dedicação na luta contra o terrorismo naquela zona do norte de Moçambique.

Além dos Chefes de Estado e do Governo, a cimeira virtual contou com a participação dos membros da Troika do comité ministerial do órgão, dos ministros dos Países Contribuintes com Efectivos (PCC) para SAMIM, do secretário-executivo da SADC e do chefe da missão da SADC em Moçambique.

Segundo a nota, os Chefes de Estado e do Governo da SADC notam, com satisfação, os progressos que estão a ser alcançados no Teatro Operacional Norte e dão nota positiva aos parceiros de cooperação internacional pelo apoio prestado à estabilização da situação de segurança e recuperação da província.

Pela morte dos soldados ao serviço da missão provenientes dos seus países, a cimeira expressou solidariedade com a República do Botswana, República da África do Sul, Reino do Lesotho e República Unida da Tanzânia.

Coube também à cimeira manifestar apreço à União Africana (UA) e aos Parceiros de Cooperação Internacional (ICP) pelo apoio à estabilização da situação de segurança, bem como à recuperação e desenvolvimento socioeconómico da província de Cabo Delgado.

A felicitação da cimeira foi estendida aos Países Contribuintes com Efectivos para a SAMIM, pelo seu apoio contínuo prestado e compromisso assumido em melhorar a eficácia das operações da missão militar, tendo sido exortados os Estados-Membros a continuarem a apoiar a missão.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos