O País – A verdade como notícia

Miss CPLP: concurso desconhecido?

O concurso Miss CPLP é uma iniciativa do Comité MISS CPLP em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa e a UCCLA (União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa), com carácter intercultural e visa a difusão e promoção de valores socioculturais de inclusão, no âmbito da lusofonia e a partilha do conhecimento sobre a diversidade lusófona. O concurso iniciou em 2013, estando agora na sua quarta edição e a gala irá decorrer amanhã, em Lisboa.

Entretanto, o concurso é pouco divulgado em Moçambique. “O País” chegou a esta constatação após procurar por várias modelos que possivelmente representariam o país, mas nenhuma contactada tinha conhecimento do concurso.

Em conversa, via email, com a comissão do concurso representado por Celso Soares, mentor e presidente do MISS CPLP, percebeu-se que desde o início do concurso Moçambique é dos países que sempre teve dificuldades em participar e a comissão aponta como causas a falta da cultura de “misses” e a dificuldade em identificar parcerias para a realização de castings que permitam a selecção oficial das candidatas e o posterior acompanhamento ou apoio das jovens, a fim de representar o país.

Celso Soares avançou ainda que existem jovens que se inscrevem através da plataforma digital e são seleccionadas através do perfil apresentado, mas depois vêem-se limitadas por não conseguir o devido apoio ou acompanhamento, como por exemplo bilhetes de viagens do seu país de origem até Portugal, acrescentado que algumas candidatas se inscrevem, mas depois não reagem em sequência, revelando alguma dificuldade de comunicação e de apoios.

“O País” contactou também com a Moz Celeb, uma das agências conceituadas no que concerne a modelos em Moçambique. A Moz Celeb confirmou o contacto com a comissão do Miss CPLP, mas para eles existe sim a cultura de Miss no país, citando alguns nomes das modelos que têm participado em vários concursos, como é o caso da Madina Chume que participou do “Miss of África”, porém reconhecem que houve um período morto, onde estes concursos passavam despercebidos, mas actualmente as modelos correm atrás.

A nossa investigação despertou o interesse da modelo Madina Chume, que ganhou recentemente o prémio “Face of Africa” do concurso “Mrs. Africa 2017”. Ela é a única moçambicana que conseguiu se inscrever-se e passou automaticamente do casting.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos