O País – A verdade como notícia

MISAU já não faz rastreio da rede de contactos de pessoas infectadas pela COVID-19

A pandemia da COVID-19 não mostra sinais de abrandamento no país, onde por dia são registados mais de mil casos positivos e dezenas de mortes, desde o princípio do mês de Julho corrente.

Por conta desta subida de infecções, óbitos e internamentos, o Ministério da Saúde (MISAU) já não consegue fazer o rastreio dos contactos de indivíduos infectados pela COVID-19, e transfere a responsabilidade para quem tenha estado em exposição ao vírus, segundo explicou a Directora Nacional Adjunta de Saúde Pública, Benigna Matsinhe.

“Está a ser difícil seguir os contactos dos casos que testam positivo, daí que temos apostado no aconselhamento, para que o positivo esteja ciente em comunicar aos seus contactos a sua situação, para que estes possam aproximar-se às autoridades de Saúde para os passos subsequentes”, disse a dirigente e acrescentou:

“Se dissemos que cada um, em princípio, pode infectar cerca de seis pessoas, olhando para os casos de hoje, 1.500 pessoas, estão a imaginar quantas chamadas teríamos que fazer, só para os casos de hoje? Seria impossível. Não temos capacidade técnica nem financeira para o efeito”.

A dirigente diz que em caso de resultado  positivo para a COVID-19, todas as pessoas que tiveram contacto com outra infectada, devem, voluntariamente, ficar em isolamento.

“Todos os que tiveram algum contacto com outrem que testou positivo para a COVID-19, devem fazer a quarentena. Aqueles contactos que têm sintomas, devem ir testar, para saber se são positivos ou não. Os que não apresentam sintomas devem ficar a monitorar. Em 10 dias, caso não apresentem sintomas da doença, estes poderão sair do isolamento”.

Benigna Matsinhe instou, ainda, aos indivíduos que testarem positivo a informarem os seus empregadores, por forma a ser seguido o protocolo sanitário, que é diferente dos casos individuais.

“Dentro das instituições, havendo casos positivos, o sector da saúde deverá ir ao local por forma a prosseguir com a testagem. Entretanto, o indivíduo é que deve facultar todos estes dados ao sector (onde trabalha, quantas pessoas trabalham com ele, entre outros) ”.

Sobre o acompanhamento das pessoas, depois de receber o resultado positivo, a Directora Nacional Adjunta de Saúde Pública diz que as ferramentas usadas têm surtido o efeito desejado.

“Para aqueles que fazem teste PCR recebem o resultado via telefónica e caso o resultado seja positivo, o MISAU faz acompanhamento periódico do estado do paciente em quarentena domiciliar, até a sua total recuperação”, explica.

Benigna Matsinhe falava esta segunda-feira, na habitual conferência de imprensa para actualização da informação sobre a pandemia em Moçambique.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos