O País – A verdade como notícia

Miquissone de olhos na dobradinha

O internacional moçambicano Luís Miquissone diz estar feliz com a conquista do título de futebol tanzaniano. O jogador pretende fazer a dobradinha ao conquistar a Taça no dia 25 do corrente mês.

Tratado como “Konde boy” na Tanzânia, as qualidades de Luís Miquissone fazem os tanzanianos sonharem num Lionel Messi emprestado ao país. Na presente época, o internacional moçambicano está “on fire”, tendo ajudado o Simba a conquistar o título, no domingo, a duas jornadas do fim do campeonato.

Na presente temporada futebolística, Luís Miquissone foi um dos jogadores mais influentes na equipa, tendo apontado nove golos, maioria dos quais de causar cobiça. Estes dados e mais a conquista do campeonato animam o jogador que vive por lá, na terra de Nyerere, os melhores dias.

“Estou muito feliz por ser bicampeão e por estar a representar e carregar o povo moçambicano aqui, na Tanzânia. O feito alcançado deixa-me com sentimento de dever cumprido”, anotou o jogador.

Miquissone ajudou o Simba a qualificar-se à final da Taça ao apontar o golo da vitória diante do Young África. Festejou a vitória, festejou o título no domingo, no entanto Konde boy mostra-se um homem insaciável e quer voltar ao delírio no dia da final da Taça. Aliás, teria duplo motivo para festejar.

“Isto ainda não acabou. Temos ainda chance de vencer a Taça no dia 25, que é uma data especial por ser do meu aniversário”, vaticinou.


ÉPOCA SOBERBA DE “KONDE BOY”

A conquista do título de Miquissone tem um sabor especial. Primeiro, por ser arrebatamento do segundo canecão consecutivo. Segundo, por ser o corolário de uma época épica na Liga dos Campeões Africanos de Futebol, na qual o seu Simba ficou nas meias-finais, ao perder para o Kaizer Chiefs da África do Sul por 4-3, no agregado das duas mãos. Ficou o Simba, mas os dados de Miquissone permaneceram registados.

Terminou a fase de grupos como um dos melhores marcadores da prova, com três golos, a par de quatro jogadores – o tunisino Mohamed Rhomdane, do Espérance Tunis, o marroquino Ayoubi El Kabbi, o argelino Amir Sayoud do CR Belouizdad e o egípcio Mohamed Sherif do Al Ahly.

O menino de Angónia foi preponderante ao fazer os três golos nas vitórias do Simba diante do Al Alhy por 1-0, frente ao Al Merrikh por 3-0 e contra o AS Vita Club por 4-1, todos os jogos disputados em Dar-Es-Salaan. Por várias vezes, fez parte do onze ideal da jornada.

Com estes números soberbos, “Konde boy” entrava na restrita lista de três jogadores que concorriam ao melhor atleta da presente época na Liga milionária de futebol continental. A si juntavam-se o egípcio Amr Elsolia e sul-africano Themba Zwane.

 

TRAJECTÓRIA MIQUISSONE

Luís José Miquissone, simples quanto isto. Nome de referência e em ascensão. Nasceu em Angónia, província de Tete, a 25 de Julho de 1995, prodígio a cada dia, vai provando o seu potencial ao continente. Com “raízes” na União Desportiva de Songo, Miquissone tentou a sua primeira demonstração ao continente pelo Sundows da África do Sul, mas foi uma daquelas aventuras para esquecer.

Foi preterido, tendo sido emprestado ao Royal Eagles e Chipa United da segunda divisão. Em 2019, regressou à União Desportiva de Songo e, em 2020, ganha voo para o gigante tanzaniano, Simba.

Este é Miquissone bicampeão da Tanzânia, considerado um dos melhores jogadores do continente e que já está no radar de gigantes africanos.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos