O País – A verdade como notícia

Ministério da Saúde recebe material médico para combate à COVID-19

O Banco Mundial e o Governo do Egipto entregaram, hoje, ao Ministério da Saúde moçambicano diverso material médico para o combate à pandemia do novo Coronavírus. A oferta inclui dinheiro.

Foram entregues ventiladores, ecógrafos, aparelhos de Raio X e equipamentos de protecção individual para os profissionais de saúde que estão na linha da frente de combate ao novo Coronavírus. A prioridade será dada aos centros de isolamento de pacientes com o vírus, mormente na cidade de Maputo, onde há cada vez mais pessoas infectadas.

Emre Ozaltin, do Banco Mundial, esteve no Armazém Central de Medicamentos de Zimpeto, em Maputo, para testemunhar a entrega do material médico. Disse que foram mobilizados 270 milhões de dólares para apoiar Moçambique na resposta à COVID-19.

No geral, “o apoio do Banco Mundial ao Ministério da Saúde é de cerca de 22 milhões de dólares americanos”, valor que “inclui o apoio a várias áreas que envolvem procurment, recursos humanos e operacionalização da resposta à COVID-19”, explicou Emre Ozaltin, para quem o valor inclui ainda “materiais de testagem, rastreio de contactos”, entre outras finalidades.

“Nós disponibilizamos esse dinheiro para o Ministério da Saúde que vai decidir o melhor caminho a aplicar na resposta à COVID-19 em Moçambique”, afirmou Emre Ozaltin.

O Egipto, através do embaixador acreditado no país, Hatim Elalfy, fez a entrega ao ministro da Saúde, Armindo Tiago, de 150 mil dólares. O montante é igualmente destinado à luta contra o novo Coronavírus.
Por sua vez, Armindo Tiago disse que com a ajuda do Banco Mundial e do Egipto, Moçambique eleva a capacidade de resposta à COVID-19.

O equipamento vai melhorar a capacidade de enfrentar o vírus nos locais de internamento por causa da COVID-19 “em todo país, mas a prioridade vai ser para a cidade de Maputo”.

Refira-se que os equipamentos oferecidos já estão a ser enviados às unidades sanitárias.

Moçambique tem 6.264 casos da COVID-19, dos quais 2.613 na cidade de Maputo e 1.071 na província de Maputo. Estes são os dois locais do país com maior número de pacientes infectados, seguidos Cabo Delgado, com 686, Nampula, com 568, e Zambézia, com 310.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos