O País – A verdade como notícia

Melhor jogador africano conhecido esta quinta

O rei do futebol africano será coroado no Centro Internacional de Conferências em Acra, Gana, e sairá do trio que inclui o vencedor de 2015, Pierre-Emerick Aubameyang, do Gabão, o egípcio Mohamed Salah, e Sadio Mane, do Senegal.

De 1992 a 2016, do Abedi Pele, do Gana, ao argelino Riyad Mahrez, 16 jogadores obtiveram a honra individual mais prestigiada no futebol africano: ser eleito o melhor.
O camaronês Samuel Eto’o foi o primeiro a ser coroado em quatro ocasiões – 2003, 2004, 2005 e 2010; um registo igualado por Yaya Touré, que alcançou quatro vitórias (2011, 2012, 2013 e 2014). O ex-atacante do Senegal, El Hadji Diouf, ganhou o prémio duas vezes seguidas: 2001 e 2002.

No entanto, o primeiro jogador a ter sido nomeado Jogador Africano do Ano da CAF em duas ocasiões foi o ex-capitão da Nigéria, Nwankwo Kanu, em 1996 e 1999, antes que o costa-marfinense Didier Drogba repetisse a façanha em 2006 e 2009.

Os vencedores da prestigiada honra são praticamente jogadores que jogam do meio-campo ao ataque; e essa tradição será respeitada novamente desta vez, com os três concorrentes atacantes.

Além disso, os 16 jogadores que foram condecorados desde 1992 foram e continuam a ser os principais embaixadores africanos do desporto mais popular do mundo.

Há, também, vários outros que estavam tão perto e ainda tão longe, incluindo o defesa marfinense Alain Gouamene, em 1992; O defesa marroquino Noureddine Naybet (sexto em 1993); O nigeriano Daniel Amokachi, que apareceu regularmente entre os dez melhores, enquanto o chadiano Japhet N’Doram foi praticamente impedido pela falta de presença de sua selecção na fase final de um grande campeonato continental, nomeadamente o CAN.

O defesa sul-africano, Mark Fish, também se posicionou na sexta posição em 1996. O defesa ganês, Samuel Kuffour, perdeu por duas ocasiões a possibilidade de ser eleito, em 1999 e 2001.

Outros são Michael Essien, do Gana, que ficou nos três primeiros lugares em cinco ocasiões seguidas – 2005 (terceiro), 2006 (terceiro), 2007 (segundo), 2008 (terceiro) e 2009 (terceiro); Asamoah Gyan, também de Gana, 2010 (segundo); Andre Ayew (Gana), 2011 (terceiro) e 2015 (terceiro) e Malian Seydou Keita, 2011 (segundo). Por fim, temos a dupla nigeriana, John Obi Mikel e Vincent Enyeama, que terminaram em segundo e terceiro em 2013 e 2014, respectivamente.

Quando a chamada dos laureados é feita, há uma observação notável. A Costa do Marfim é o país que tem o maior número de triunfos, seis no total: Toure (quatro) e Drogba (dois); seguido pela Nigéria em cinco títulos, dois para Kanu, um para Emmanuel Amunike, Rashidi Yekini e Victor Ikpeba.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos