O País – A verdade como notícia

Médicos del Mundo e Matola juntos pela saúde

Com objectivo de garantir o conhecimento e respeito dos direitos do cidadão no acesso à saúde, o Município da Matola e Médicos del Mundo assinaram, hoje, um memorando de entendimento para execução de um projecto orçado em mais de 21 milhões de meticais.

Coube a Emanuel Lini, coordenador da organização, e Calisto Cossa, Presidente do Conselho Municipal da Matola, rubricar o acordo para implementação da iniciativa denominada “Melhoria da participação do cidadão no âmbito da governação para o exercício do direito à saúde”.

O projecto prevê actividades nos bairros da Matola e terá envolvimento de jovens e lideres locais.

“O projecto tem como público-alvo entidades públicas como entidades responsáveis por garantir esses direitos e os cidadãos. Esse projecto pressupõe actividades que propiciem a boa governação na área da saúde e nesse sentido vamos trabalhar em coordenação com a Direcção Distrital de Saúde e o Conselho Municipal. Por outro lado, trabalharemos com os cidadãos como titulares dos direitos, capacitando os líderes locais como secretários dos bairros, chefes de quarteirões e jovens influentes. Estaremos focalizados no posto administrativo de Infulene, nos bairros de Boquisso, Ndlhavela, Congolote, Mualaze, T3 e Bairro de Infulene. Iremos abranger 62 mil mulheres e 58 mil homens”, disse o representante da Médicos del Mundo.

Porque a iniciativa vai se alicerçar em projectos participativos da edilidade da Matola, Calisto Cossa acredita que será uma mais-valia para perceber de perto as reais preocupações dos citadinos. “Estamos satisfeitos porque vemos que as ferramentas de participação criadas pela nossa edilidade estão a surtir os efeitos desejados. Daremos toda a contribuição necessária para que o projecto vá avante. Agora temos um parceiro para olharmos para os grupos mais vulneráveis como são a mulher e a criança”, terminou.

O projecto inicia no próximo mês de Agosto e tem a duração de 18 meses. A iniciativa está orçada em 318 mil euros, o equivalente a pouco mais de 21 milhões de meticais. Grande parte deste valor foi desembolsado pela Agência Andaluza de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento.

 

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos