O País – A verdade como notícia

MDM denuncia agressão física contra seus membros na campanha eleitoral

O Movimento Democrático de Moçambique diz que quatro jovens membros do partido foram fisicamente agredidos e duas viaturas vandalizadas por supostos integrantes do partido Frelimo, na última segunda-feira no distrito de Magude.

O MDM ao nível da província de Maputo chamou a imprensa esta terça-feira para anunciar que passados dez dias da campanha eleitoral, a mesma já está a ser manchada por agressões físicas contra os seus membros e vandalização de meios circulantes. Falando ao “O País” este partido referiu que foram quatro jovens que sofreram agressão física quando na última segunda-feira pediam voto no distrito de Magude, concretamente em Mahele, Mapulangwene e Matsandzane.

Para o MDM não restam dúvidas que os protagonistas da agressão são membros e simpatizantes do partido Frelimo que de tudo fizeram para impedir a sua caça ao voto naquele dia.

“Nossos do MDM foi atacados por membros da Frelimo em plena campanha eleitoral. Na segunda-feira, quatro jovens foram agredidos fisicamente tendo contraído ferimentos ligeiros em Mahele, Mapulangwene e Matsandzane. Fomos agredidos porque aqueles não queriam que fizéssemos a campanha naquele dia. Esta situação é lamentável e inadmissível”, contestou Renato Muelega, membro da Comissão Política Nacional do MDM.

Para além de agressão física contra os quatro jovens, os supostos membros e seguidores da Frelimo vandalizaram duas viaturas uma das quais do deputado Silvério Ronguana.

As queixas não param por aqui, o partido do galo diz-se agastado com o suposto silêncio de quem de direito, nomeadamente a Policia da República de Moçambique e a Procuradoria-geral da República.

Ainda ontem, o partido Frelimo orientado pelo seu cabeça-de-lista para a província de Maputo, Júlio Parruque, trabalhou na mais conhecida zona de João Mateus, mercado Madruga e Shoprite, onde no contacto interpessoal pedia votos aos passageiros, motoristas, vendedores quer formais, quer informais. Caso seja eleito governador da província de Maputo, Júlio Parruque prometeu ampliar o ensino técnico-profissional e garantir mais postos de trabalho para os jovens para além de melhores condições na actividade comercial.

“O partido Frelimo aposta na continuidade e nós queremos garantir um ambiente de paz, de esperança para a toda a população da província de Maputo. Temos um plano concreto para a formação de jovens e para a criação de mais postos de trabalho. Estamos preparados para continuarmos a desenvolver esta província, mas para tal precisamos do voto dos eleitores. Com a Frelimo está garantido o desenvolvimento de Maputo”, referiu Júlio Parruque.

Quem também caçou voto é a Nova Democracia que concorre para as eleições legislativas e provinciais. O cabeça-de-lista da Nova Democracia na província de Maputo pediu voto com a promessa de tornar os órgãos do Estado mais próximos da população.

 
 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos