O País – A verdade como notícia

Maxaquene empata a uma bola com Ferroviário de Nacala

Tendo como “pano-de-fundo” o seu peso específico na prova e o facto de jogar em casa, o Maxaquene entrou com pendor ofensivo e predisposto a resolver a partida tão cedo quanto possível. Pela frente, porém, estava um Ferroviário de Nacala disposto a contrariar os intentos "tricolores".
E é assim que o primeiro sinal claro de perigo surge aos 12 minutos, na sequência da marcação de uma falta contra a turma da casa, com Pai a forçar Jonas a uma defesa apertada.

Um tanto contra a corrente do jogo e das expectativas, são os “locomotivas” de Nacala que chegam ao golo, aos 21 minutos, por intermédio de Marrufo, que responde de primeira a um cruzamento, rematando forte para o fundo da baliza de Jonas.
Era a festa dos "locomotivas" de Nacala que durou apenas 10 minutos, pois Nelson repôs a igualdade aos 31, resultado com que se foi ao intervalo.

No reatamento, as duas equipas mostraram-se mais soltas, com o Maxaquene a tudo tentar para impôr os seus galões. Isso poderia ter sido consubstanciado aos 71 minutos, quando Mutong respondeu ao cruzamento de João, cabeceando ao lado da baliza adversária. Nove minutos depois, o mesmo jogador faz a bola balançar as redes dos nortenhos, mas a partir de uma posição irregular, fazendo com que o empate prevalecesse até ao apito final.

 

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos