O País – A verdade como notícia

Maxaquene e Machava lideram consumo ilegal de água potável

A campanha de inspecção periódica levada a cabo pela empresa Águas da Região de Maputo (AdeM) tem estado a detectar, nas suas áreas operacionais, casos de uso irregular de água por meio de consumos não autorizados.

Segundo a administradora para a Área Comercial e Desenvolvimento de Negócios da AdeM, Elsa Gumançanze, trata-se de uma situação que se verifica em todas as áreas operacionais, mas com maior incidência nas de Maxaquene e Machava, nas cidades de Maputo e Matola, respectivamente.

“Uma vez detectado o consumo não autorizado, ao invés de desmantelar a ligação, o que fazemos é regularizar o consumo e cadastrar o cliente na nossa base de dados. A partir desse momento, a empresa passa a controlar e a facturar o consumo”, explicou Elsa Gumançanze, falando à imprensa após mais uma campanha de inspecção nos bairros.

De acordo ainda com a administradora para a Área Comercial e Desenvolvimento de Negócios, a investida não visa sancionar os que pautam por esta prática, mas sim transformá-los em clientes, com contrato e uma ligação previamente inspeccionada para evitar perdas ou contaminação da rede.

Neste sentido, a empresa insta a todos os consumidores que estejam nesta condição a regularizar a sua situação, dirigindo-se às suas lojas de atendimento ou contactando os serviços de apoio ao cliente.

Lançada recentemente, a campanha, que inclui a inspecção de instalações domiciliárias, visa actualizar o cadastro dos clientes e melhorar a eficiência operacional nos sistemas de abastecimento de água.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos