O País – A verdade como notícia

Maputo acolhe projecto regional para fortalecimento da prontidão a pandemias

A Comunidade de Saúde da África Oriental, Central e Austral (ECSA-HC), em colaboração com o Ministério da Saúde (MISAU), procede, amanhã,  ao lançamento do projecto regional para o fortalecimento da prontidão a pandemias nos países da Comunidade de Saúde da África Oriental, Central e Austral (SPP), em parceria com o Banco Mundial.

Segundo um comunicado da SPP, a África Subsaariana foi atingida por muitas epidemias, que causaram morbidade, incapacidade, mortalidade e perdas económicas em larga escala entre os cidadãos. Alguns dos surtos cruzaram fronteiras internacionais. Apesar das muitas intervenções realizadas, a ameaça de riscos agudos para a saúde continua e é agravada pelas doenças infecciosas emergentes (EIDs).

“A actual pandemia da COVID-19 e o surto de Ébola na África Ocidental, de 2013-2016, são exemplos de eventos graves de saúde que cruzaram facilmente as fronteiras, o que impactou os programas económicos e de saúde na região, e precisaram de intervenções diversificadas implementadas de forma conjunta pelos países vizinhos, conforme previsto no Regulamento Sanitário Internacional. Portanto, devem ser reforçadas iniciativas para fortalecer as medidas regionais de controlo de doenças. A ECSA-HC apoia os países da região a fortalecer os seus sistemas de saúde para desenvolver resiliência a eventos e riscos graves de saúde actuais e futuros”, refere a fonte.

O projecto SPP é uma iniciativa regional conjunta, financiada pelo Banco Mundial, com o objectivo de melhorar a prontidão na resposta a diversas pandemias nos países do projecto, neste caso Malawi, Moçambique, Ruanda, Tanzânia e Zâmbia.

O lançamento do projecto será precedido pela primeira reunião conjunta de planificação e priorização das actividades aprovadas. Reunirá altos funcionários dos ministérios responsáveis pela saúde e equipas técnicas multidisciplinares e multissectoriais dos países participantes e representantes dos principais parceiros de saúde, incluindo Banco Mundial, Africa CDC e OMS.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos