O País – A verdade como notícia

Manica registou 45 mil casos de uniões prematuras nos últimos três anos

A província central de Manica está com um quadro sombrio no que tange a uniões forçadas e de violência sexual baseada no género, com dados do inquérito levado a cabo pela Gender Links, organização que advoga os direitos da mulher e da rapariga, em particular, a apontarem para a ocorrência de 45 mil casos desde 2017.

Os dados disponibilizados pela organização revelam que tende a crescer o número de raparigas forçadas a viverem maritalmente e em muitas situações, estas são mesmo casadas logo à nascença, ou seja, ainda bebés são reservadas, e quando atingem a adolescência, são entregues aos maridos, uma prática conhecida localmente por “mabatiro”.

A nossa reportagem entrevistou no distrito de Gondola, Rosa, nome fictício de uma rapariga que quase via seus sonhos destruídos.

Rosa contou que aos 13 anos entrou num relacionamento com um senhor que segundo disse, a enganou, tendo resultado dessa relação uma gravidez.

Quando pensava que com o marido e um bebé, a família e felicidade no lar estavam consolidados, eis que seis meses depois do parto, o marido abandonou-a, tendo inclusive saído daquele distrito para outro. Rosa regressou para casa dos pais onde vive com o seu filho menor.

Apesar de ter vivido momentos dramáticos, revelou que é um caso de superação uma vez que conseguiu regressar à escola onde prosseguiu os estudos, tendo o ano passado concluído o nível médio. Seu sonho é ser médica.

Esta é apenas um de vários casos de uniões prematuras que se registam em Manica.

A Directora executiva da Gender Links, Alice Banze revelou que além de Manica, a sua organização tem estado a desencadear trabalhos com vista ao resgate de menores que foram forçados a viver maritalmente.

A Procuradoria da República tem a noção desses casos, aliás nos últimos dias tem estado a receber muitas denúncias de uniões forçadas.

Tamele de Novais procurador distrital de Gondola diz que o órgão que dirige tem estado a propor aos tribunais, condenação exemplar aos que casam e mandam casar crianças.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos