O País – A verdade como notícia

Mambas partem para Benim com reforço de Telinho e Fóia

Fotos: FMF

A selecção nacional de futebol parte esta quarta-feira para Cotonou, Benim, onde vai defrontar a Costa do Marfim e Malawi, em partidas das duas últimas jornadas de qualificação ao Mundial de 2022. Telinho e Fóia foram chamados à última hora para reforçarem o combinado nacional, após a confirmação das lesões de Melque e Kamo Kamo.

Foram duas sessões de treinos realizadas em solo pátrio, nas primeiras aparições de Chiquinho Conde à frente dos destinos dos Mambas.

Duas sessões que confirmaram ausências, por lesões, e consequentemente substituições no leque dos chamados por Chiquinho Conde para os embates de 13 e 16 de Novembro corrente, diante da Costa do Marfim e Malawi, respectivamente.

Depois da confirmação da ausência de Mexer Sitóe, por lesão, e chamada de Melque, para completar o grupo, esta terça-feira mais novidades surgiram: Melque e Kamo Kamo estão indisponíveis. O avançado da Black Bulls, que substituiu Mexer, lesionou-se no treino e não pode dar o seu contributo, enquanto Kamo Kamo saiu lesionado no embate do Vitória de Setúbal diante do Torreense, que a equipa do moçambicano saiu vitoriosa.

O jogo teve lugar na sexta-feira e contava para a mais uma jornada da Liga 3 do futebol português. A lesão de Kamo Kamo só foi confirmada esta terça-feira

Assim, para os lugares destes dois jogadores, Chiquinho Conde chamou Stélio Marcelino, ou simplesmente Telinho, avançado do Costa do Sol, e Alberto Armando Alface, também conhecido por Fóia, do Ferroviário da Beira, que poderá marcar a sua estreia na selecção principal de Moçambique.

 

DOVE E KAMBALA INTEGRADOS

No penúltimo treino realizado em solo pátrio, antes da partida para Benim, o combinado nacional já contou com a prestação e integração de Edmilson Dove e Manuel Kambala, dois jogadores que actuam na África do Sul, que se juntaram aos nove convocados que jogam em equipas do Moçambola e a Domingues e Reginaldo, que se apresentaram no domingo.

Os restantes jogadores que actuam fora de portas juntam-se aos colegas em Cotonou, esta quarta-feira, sendo que os Mambas vão realizar um treino na quinta-feira, enquanto o de adaptação será na sexta-feira.

Para esta quarta-feira, a equipa técnica dos Mambas agendou o último treino na capital moçambicana, a decorrer no período da manhã, no campo da Liga Desportiva de Maputo, para depois seguir viagem a Benin.

Lembrar que Moçambique defronta a Costa do Marfim, no sábado, 13 de Novembro, sendo que três dias depois terá pela frente o Malawi para as últimas duas partidas pontuáveis do Grupo “D” de qualificação africana para o Mundial de Qatar 2022.

 

DOMINGUES SATISFEITO COM REGRESSO AOS MAMBAS

Uma das maiores novidades na primeira convocatória de Chiquinho Conde, como que a cumprir a promessa feita, foi a integração do capitão Domingues, que se apresentou no primeiro dia de trabalhos.

Nas suas primeiras declarações após o regresso aos Mambas, Domingues mostrou-se satisfeito e motivado e prometeu dar todas suas energias para que os Mambas alcancem resultados positivos nestes dois jogos.

“Encontrei o grupo com a mesma motivação de sempre. É sempre uma honra voltar à selecção e vestir esta camisola. Como sempre vou procurar dar o melhor de mim, gosto de representar o país. Espero dar o meu contributo. Sempre entro em campo para me divertir, mas com muita responsabilidade”, disse Domingues.

Relativamente às ausências anteriores, o capitão disse que respeitou as decisões do seleccionador nacional, mesmo tendo ficado triste. “Foi um momento triste, mas há que respeitar as opções dos treinadores. Foi triste, porque gosto de representar a selecção nacional”, disse, acrescentando ainda que “vou dar o meu contributo porque estou motivado e agora há que ter responsabilidade e retribuir dentro do campo a confiança”, terminou.

 

“É UM PRAZER ENORME ESTAR AQUI A TRABALHAR”, CHIQUINHO CONDE, SELECCIONADOR NACIONAL

“Não via a hora de iniciarmos o trabalho ao nível de campo. Depois das escolhas da convocatória infelizmente não podemos ter aqui o grupo todo só tivemos oito jogadores de campo, mais três guarda-redes. Tivemos a felicidade de ter o Reginaldo mais cedo e amanhã já teremos o Kambala e o Edimilson. Espero bem que eles não tenham nenhum problema de lesão. Falei ainda hoje com o Kamo-Kamo e teve problema de ligamento no joelho. Infelizmente perdemos o Mexer mas são “ossos do ofício”, mas digo que é um prazer enorme estar neste campo, é aquilo que eu gosto de fazer, é prazeroso chamar-lhes o seu brio nacional e dar a liberdade de poderem participar e falar.

A expectativa é que possamos medir o pulso e perceber também melhor as personalidades, porque temos muito pouco tempo para entender. Isto não é um clube, na selecção tenho pouco tempo e estamos a tentar transmitir ideias de jogo. Basicamente vamos concluir lá no local do jogo com todos juntos. Por enquanto vou-lhes chamar atenção por aquilo que vai ser a nossa ideia de jogo. As características dos jogadores moçambicanos são peculiares e eu vou tentar potenciar com conhecimentos e valências para fazermos um bom resultado.

Nós temos variadíssimas soluções dentro deste lote de jogadores. Temos jogadores que, por exemplo, vão jogar no corredor direito como o Sidique e o Fidel. Temos o Martinho do lado esquerdo e o Edimilson que está a fazer uma época toda a central do lado esquerdo na equipa dele e temos também o Reinildo que vai fazer o corredor esquerdo na frente e atrás temos o Witness, se estiver em condições pode fazer a frente e trás e temos o Gildo que pode fazer as zonas de corredor”

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos