O País – A verdade como notícia

Mambas aptos para “cuspir” veneno na COSAFA

O combinado Nacional está confiante num bom desempenho na Taça COSAFA, evento que vai decorrer de 7 a 18 de Julho, na vizinha África do Sul. Horácio Gonçalves e Candinho reconhecem o valor dos adversários de Moçambique na prova, mas garantem que vão jogar para ganhar.

Senegal, convidado a participar, Namíbia, uma vez vencedora e Zimbabwe, seis vezes campeão da COSAFA, são os adversários de Moçambique no Grupo “C”, do evento que vai decorrer de 7 a 18 de Julho corrente na vizinha África do sul.

Moçambique entra em cena no dia 8, defrontado o Zimbabwe, para depois, nos dias 11 e 14, jogar com Senegal e Namíbia, respectivamente. Os oponentes são “pesados” e merecem respeito de Horácio Goncalves, que, no entanto, prometeu na antecâmara da prova jogar para vencer.

“O Torneio Triangular realizado em Maputo serviu de aperitivo para estes jogadores. Na COSAFA, teremos adversários mais difíceis que os que tivemos no triangular. Isto é bom para estes miúdos, porque vão evidenciar-se”, projectou Horácio Goncalves, durante a conferência de imprensa, realizada no sábado, na Federação Moçambicana de Futebol.

À competição que Moçambique nunca venceu, em seniores, Gonçalves leva, pela primeira vez, atletas jovens, ou melhor, a selecção olímpica. O técnico pretende, com a ideia, dar mais oportunidade aos jovens que no futuro poderão integrar a selecção nacional.

“Vamos confiar nestes jovens, porque têm talento e muita energia para o futebol moçambicano. Moralmente a equipa está bem. É verdade que as dificuldades não faltam, mas tivemos uma preparação bem conseguida. Este é um processo que vai levar o seu tempo, por isso vamos dar confiança a estes jovens”.

O médio-centro Candinho foi o porta-voz dos jogadores, tendo garantido bom desempenho dentro das quatro linhas de modo a que Moçambique consiga, pela primeira, em seniores, conquistar a competição regional que, no ano passado, foi da selecção sub-20.

“O grupo está moralizado e confiante desde o primeiro dia da nossa preparação. Cada elemento vai dar o seu melhor. Portanto, vamos à África do Sul para fazer o nosso trabalho que é jogar a bola para trazer resultados”, anotou o atleta.

 

EQUILÍBRIO MARCA ENSAIO DA SELECÇÃO

Antes de seguir viagem, ontem, para a África do Sul, o combinado Nacional realizou, no solo pátrio, dois testes, com a Liga Desportiva de Maputo e com a Associação Black Bulls. No embate diante da Liga, realizado na quarta-feira, os pupilos de Horácio Goncalves perderam por 0-2, com golos de Eládio e Nazir.

Já no segundo jogo, diante dos “Touros”, o conjunto Nacional redimiu-se da derrota sofrida frente à Liga e superiorizou-se do líder destacado do Moçambola, ao vencer por 2-0. Maré e Victor foram os marcadores em serviço.

 

ZIMBABWE: “PAPA-TÍTULOS”

Numa lista restrita de vencedores da COSAFA, da qual Moçambique não faz parte, o Zimbabwe aparece na “poule position”.

Três anos depois da criação da Taça COSAFA, prova que conta com a participação de países da zona Austral de África, Zimbabwe começava a desenhar a sua hegemonia regional. Quis a história que a Zâmbia fosse a vítima. No ano seguinte, houve nova conquista. Depois, foi a vez de Angola em 1999.

Era apenas o começo, porque depois, o Zimbabwe foi o senhor da região, ainda que de forma intercalada, ao carregar para os seus anais seis títulos. Em 2000, 2003, 2005, 2009, 2017 e 2018, os zimbabweanos foram imperiais e, na primeira final, humilharam Lesotho por 3-0. Era esta a maior vitória do Zimbabwe na competição.

Ao grupo de vencedores da COSAFA, junta-se a Zâmbia, o primeiro país a conquistar a Taça COSAFA, que aparece na segunda posição depois de Zimbabwe, selecção que, curiosamente, venceu em duas finais, em 1998 e 2013. Além da conquista de 1997, os zambianos foram gigantes em 1998, 2006, 2013 e 2019.

A África do Sul completa o pódio dos países com mais títulos. Os homens da “terra do rand” conquistaram a prova continental por quatro ocasiões – 2002, 2007, 2008 e 2016. Destas conquistas, consta a obtida diante de Moçambique, em 2008, por 2-0.

Diferentemente do país-irmão, Angola já foi ao pódio da competição por três vezes:1999, 2001 e 2004. Para fechar a lista dos vencedores, aparece a Namíbia que, por uma vez, foi ao trono ao vencer, curiosamente, Moçambique na final por 2-0, na era de João Chissano.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos