O País – A verdade como notícia

Malária matou mais de 100 menores de cinco anos em Nampula

Estima-se que nos primeiros oito meses do ano em curso, um milhão e quatrocentas mil pessoas tiveram um diagnóstico positivo de malária na província de Nampula, tendo resultado em 131 mortos, dos quais, 112 são crianças dos 0 aos 5 anos de idade.

“Foram reportados 131 óbitos em 2018 contra 163 que foram reportados em igual período do ano passado, com uma tendência decrescente. Portanto, a província, felizmente, reduziu os óbitos por malária na ordem de 12%”, destaca o chefe do programa de malária na Direcção Provincial de Saúde em Nampula, Marcelino Adui.

No fundo, não há muitos motivos para celebrar porque a malária continua a ser a principal causa de consultas externas nas unidades sanitárias em todo o país e a principal causa de óbitos em Nampula, onde sete distritos lideram a lista. Trata-se dos distritos da cidade de Nampula, Mugincual, Liúpo, Lalaua, Monapo, Malema e Eráti.

No Hospital Geral de Marere – um dos principais na periferia da cidade de Nampula – o cenário é dramático. Percorremos os quartos de internamento pediátrico na hora em que o pessoal de saúde, incluindo estudantes de medicina, faziam a verificação do estado dos internados. Os gritos de bebés e crianças menores de cinco anos internados na companhia das mães corta o fôlego a qualquer um.

É que para além de malária, muitos casos estão relacionados com a desnutrição, que coloca Nampula no topo, com mais de 50% da média nacional, segundo estudo divulgado há pouco mais de uma semana naquela província.

“Cerca de 51.9% de casos de malária foram reportados em indivíduos menores de cinco anos”, esclarece Marcelino Adui, e parafraseou as causas dessa incidência, afirmando que “as crianças gozam de fraca imunidade e são mais suscetíveis a qualquer patologia”.

Na luta contra a endémica doença do mosquito, inicia esta quinta-feira (20.09) a campanha de pulverização intradomiciliária nos distritos críticos de Nampula.

“Este medicamento é importante porque não cheira mal, não suja a parede e mata o mosquito que combatemos que é anopheles”, tranquiliza Janvier Magugi, supervisor da equipa de pulverização na cidade de Nampula.

A campanha vai até dia 20 de Novembro, devendo beneficiar 1.802.396 pessoas.

Governador de Nampula lança campanha de pulverização

O chefe do Executivo de Nampula, Victor Borges, vai dirigir a campanha de pulverização intradomiciliária que inicia esta quinta-feira até ao dia 20 de Novembro nos distritos mais afectados pela malária naquela província. Os distritos de Nampula, Meconta, Morrupula, Rapale e Angoche tiveram maior número de doentes de malária em 2017 e 2018, pelo que, nesta quinta-feira começa a pulverização intradomiciliária avaliada em 50 milhões de meticais. Trata-se de uma das campanhas mais caras para os serviços de saúde, segundo apurou O País.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos