O País – A verdade como notícia

Mal foram reabertos, salões de eventos estiveram abarrotados no fim-de-semana

Foto: O País

No último fim-de-semana, vários salões que realizam eventos sociais como casamentos abarrotam de gente, violando as medidas contra a COVID-19. A situação preocupou a Inspecção Nacional das Actividades Económicas (INAE), que promete mão dura contra os infractores.

Estas infracções acontecem depois que, na última quinta-feira, o Presidente da República levantou as restrições que tinham sido impostas para evitar o alastramento da pandemia da COVID-19 no país, mas os desmandos falaram mais alto.

A Inspecção Nacional das Actividades Económicas (INAE) constatou, durante o fim-de-semana, que os salões que acolhem eventos sociais estiveram abarrotados, agindo contra os limites de capacidade e dos apelos das medidas restritivas contra a COVID-19.

Segundo a INAE a situação foi visível um pouco por todo o país, sobretudo nos centros urbanos, mas as zonas suburbanas ficam de fora. A propósito, como forma de se esquivar das acções inspectivas, é para lá que algumas pessoas se refugiam para fazer das suas.

O Porta-voz da INAE, Tomás Timba, disse que a situação poderá fragilizar os esforços para travar a propagação da COVID-19, bem como “minar” o normal funcionamento de actividades económicas e não só.

“Não gostaríamos de ver estabelecimentos, como os salões de eventos encerrados. A esses apelamos que colaborem com o Governo, cumprindo, à risca, as medidas restritivas”, disse Tomás Timba.

Segundo a Inspecção Nacional das Actividades Económicas, não foram só proprietários dos salões de eventos sociais que cometeram excessos que colocam em perigo as suas vidas e a dos seus utentes.

A instituição inspectiva constatou também que houve aglomerados nas praias, situação que propiciou o contacto físico entre os banhistas.

Ainda durante os trabalhos de fiscalização, a Inspecção Nacional das Actividades Económicas aprendeu cerca de 88 máquinas de jogos de fortuna e azar, que estavam localizados em locais impróprios.

Sabe-se, entretanto, que estes dispositivos devem estar posicionados nas casas de jogo, como em casinos.

A instituição diz que não se pode assistir a atropelos, daí que promete sancionar os infractores que se mostrarem relutantes.

Lembre-se que no último anúncio das medidas restritivas contra a pandemia da COVID-19, foi autorizada a realização de eventos sociais com uma lotação máxima de 30 pessoas em locais fechados e de 50 em espaços abertos.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos