O País – A verdade como notícia

Mais uma morte por COVID-19 pelo quarto dia consecutivo no país

Um homem de 70 anos de idade morreu por causa da COVID-19 na cidade de Maputo, informou o Ministério da Saúde, na tarde de hoje, esclarecendo que o óbito aconteceu no sábado. É a quinta morte pelo quarto dia consecutivo e o total no país é de 44, das quais 27 na capital Maputo.

O Ministério da Saúde disse que a vítima é de nacionalidade moçambicana. O seu estado de saúde piorou durante o internamento numa unidade hospitalar da cidade de Maputo.

O indivíduo ficou a saber que tinha Coronavírus no dia 18 de Setembro e morreu no dia seguinte.

No domingo, a Saúde anunciou que duas mulheres de 60 e 81 anos de idade morreram também devido à COVID-19 em Maputo. No sábado foi igualmente anunciada a morte de um homem de 44 anos de idade, na província de Maputo, onde vivia um cidadão de 67 anos, cuja morte foi reportada na sexta-feira.

Sobre os pacientes internados por causa desta doença, o número continua a aumentar. A directora nacional adjunta da Saúde Pública, Benigna Matsinhe, disse à comunicação social que Moçambique conta com um cumulativo de 181 [contra 159 até domingo] indivíduos acamados. Destes, 56 ainda estão sob cuidados médicos nos centros de isolamento.

Os indivíduos em alusão “padecem de patologias crónicas diversas, associadas à COVID-19” e estão internados na cidade de Maputo (53), províncias de Gaza (02) e Zambézia (01).

RECUPERARAM 3.738 PACIENTES

Mais 116 pacientes ficaram “ totalmente recuperados da COVID-19”, dos quais 54 na província de Maputo, 38 na capital do país, 15 em Nampula e nove em Tete.

“Actualmente, 3.738 (54%) indivíduos previamente infectados pelo novo Coronavírus estão totalmente recuperados da doença”, disse Benigna Matsinhe, que falava numa conferência de imprensa atinente à actualização da informação sobre o novo Coronavírus no país e no mundo.

HOUVE MAIS 141 INFECTADOS

Dos 848 casos suspeitos testados de domingo para segunda-feira, 141 foram positivos para a COVID-19. Todos dizem respeito a indivíduos de nacionalidade moçambicana e são de transmissão local.

“A cidade de Maputo registou o maior número de casos (94), correspondendo a 66.6% do total dos casos reportados” esta segunda-feira “em todo o país, seguida pela Província de Maputo (16.3%) com 23 casos”, explicou Benigna Matsinhe.

De acordo com a directora nacional adjunta da Saúde Pública, o país tem cumulativamente 6.912 casos positivos registados, dos quais 6.627 são de transmissão local e 285 são importados.

Os casos recém-reportados encontram-se em isolamento domiciliar e decorre o processo de mapeamento dos seus contactos, garantiu a dirigente.

SAÚDE AVISA SOBRE O PERIGO DO AUMENTO DA COVID-19
A directora nacional adjunta da Saúde Pública alertou para o agravamento da situação da pandemia da COVID-19 no país, sobretudo na cidade e província de Maputo, com 2.950 e 1.253 casos, respectivamente, dos 6.912 cumulativos.

“O aumento dos casos da COVID-19 no nosso país, particularmente neste mês de Setembro, a uma média acima de 30% de todos os indicadores, representa uma ameaça para a Saúde Pública e para a estabilidade socioeconómica do país”, recordou a dirigente.

Em Setembro em curso houve registo de 2.996 pacientes infectados, o que representa uma média de 143 casos por dia, ou seja, 43% de todos os casos até agora registados em Moçambique.

É “importante referir que o número de doentes nas camas dos nossos hospitais duplicou e o número de óbitos mantêm uma tendência crescente”, salientou a responsável da Saúde.

Para Benigna Matsinhe “este facto mostra que estamos a ter falhas no cumprimento das medidas de prevenção, o que nos remete à certeza de que caso não haja uma mudança no comportamento que temos vindo a ter, enquanto sociedade, investindo na prevenção e eliminação de todos os factores de risco concorrentes para a propagação da doença, vamos continuar a assistir a uma certa pressão ao nosso sistema de saúde e lançando um alerta para o seu colapso”.

“Queremos, por isso, apelar à toda a nossa sociedade para que tenha uma atitude mais consciente e redobrar os esforços na prevenção da COVID-19”, insistiu.

ÁFRICA COM 33.951 MORTES E MAIS DE UM MILHÃO DE RECUPERADOS

No continente africano, de acordo com actualização diária do Centro de Controlo de Doenças de África (CDC-África), até hoje há um cumulativo de 1.407.680 casos da COVID-19, dos quais 33.951 óbitos.

No total, 1.153.967 pessoas recuperaram da COVID-19 em África, disse o Ministério da Saúde moçambicano.

A instituição indica ainda que o cumulativo de indivíduos infectados pelo novo Coronavírus no mundo é de 31.253.976, dos quais 965.193 morreram.

Actualmente existe, em todo o mundo, um cumulativo de 22.838.629 de pessoas recuperadas da COVID-19.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos