O País – A verdade como notícia

Mais de um milhão de crianças são sujeitas ao trabalho infantil em Moçambique

As calamidades naturais, o terrorismo em Cabo Delgado, os ataques armados no centro e a pandemia da COVID-19 propiciam o ingresso ao emprego infantil de mais de um milhão de crianças em todo o país, segundo indicou, hoje, a Primeira-dama de Moçambique, durante o lançamento do ano internacional para eliminação do trabalho infantil, que é celebrado sob o lema “Agir já para acabar com o trabalho infantil”.

A Primeira-dama espera que, com a aprovação do plano de acção para o combate às piores formas de trabalho infantil, sejam preparadas acções concretas para reduzir a “dura e cruel situação que muitas das nossas crianças experimentam no seu dia-a-dia”.

“Não é só para reflectirmos sobre a data, mas para criarmos acções justas e concretas, viradas para sensibilização junto das comunidades, sobre os perigos de algumas práticas associadas ao trabalho infantil”, disse.

Num dia em que o mundo parou para reflectir sobre a problemática do trabalho infantil, a esposa do Presidente da República recorreu ao exemplo de Moçambique para mostrar a sua preocupação em relação ao fenómeno, que afecta milhares no país e mais de 70 milhões todo o continente africano.

Isaura Nyusi, chocada com o caso de violência extrema perpetrada contra uma menor de 17 anos, na província de Manica, instou às autoridades que actuem severamente contra os prevaricadores.

“Devemos aumentar o nosso grito para que as mulheres vítimas de violência tenham assistência necessária e que os agressores sejam exemplarmente punidos. É necessário criarmos sinergias para que as vítimas de violência estejam seguras para denunciar os seus algozes que, muitas das vezes, são pessoas próximas”, disse a Isaura Nyusi.

Durante o seu discurso, Isaura Nyusi reiterou a necessidade de envolvimento das comunidades nos processos, para que o trabalho seja completo, pois é nas comunidades onde saem os “trabalhadores infantis”.

O trabalho infantil afecta, em todo o mundo, cerca de 168 milhões de crianças, das quais 72 milhões são do continente africano.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos