O País – A verdade como notícia

Mais de cinco mil famílias sitiadas em Mossurize devido ao “Eloise”

Pelo menos 5.500 famílias afectadas pelo ciclone “Eloise” não recebem assistência do Instituto Nacional de Gestão e Redução de Riscos de Desastres (INGD), no povoado de Save, no distrito de Machaze, em Manica, porque estão sitiadas.

As autoridades não têm acesso às vítimas, de acordo com a governadora da província de Manica, Francisca Tomás, devido às inundações em consequência do ciclone “Eloise” que fustigou Manica, Sofala, Zambézia e Inhambane, semana finda.

Porque as chuvas intensas inundaram o povoado de Save, as famílias estão impossibilitadas de sair da região. Francisca Tomás disse que às famílias falta um pouco de tudo, desde comida ao vestuário.

O acesso ao local só é possível através de meios aéreos, neste momento em mobilização pelo INGD, para fazer chegar víveres aos afectados, segundo a governadora da província de Manica. Pondera-se ainda recorrer a tractores para se chegar à zona. “Precisamos de transportar alimentos para Mazvissanga”.

Por sua vez, o vice-presidente do INGD, Belém Monteiro, assegurou que há alimentos para assistir aos necessitados e a preocupação, agora, está relacionada com a ausência de meios para se chegar ao local.

Em Manica, o ciclone “Eloise” fez-se sentir nos distritos de Gondola, Chimoio, Sussundenga, Macate, Mossurize e Machaze, onde também criou prejuízos na agricultura. Ao menos 800 mil hectares de culturas diversas são dados como perdidos.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos