O País – A verdade como notícia

Mais de 21 mil pessoas beneficiam de energia eléctrica em Marínguè

O povoado de Nhamapaza, no distrito de Marínguè em Sofala, passou a estar interligada à rede de energia eléctrica nacional após a inauguração de um posto de transformação dirigida pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, no decurso da visita de trabalho que realiza à província desde a última segunda-feira.

Nesta terça-feira, o Chefe de Estado escalou aquele povoado onde, para além da inauguração, orientou um comício popular bastante concorrido. Na ocasião, disse que a extensão da energia era resultado das promessas que fez em 2014 durante a sua campanha eleitoral e que a corrente eléctrica só não chegou antes devido aos confrontos militares que tiveram lugar naquela região.

O Presidente disse que agora o desafio é levar a energia para os outros Postos Administrativos do distrito de Marínguè e Chemba, nomeadamente Caxixe e Mulima. E garantiu que isso vai acontecer nos próximos meses. Filipe Nyusi congratulou-se ainda de ter conseguido levar energia à vila sede de Marínguè um ano após ter tomado posse, cumprindo a promessa que deixou à população aquando da sua passagem em Setembro de 2014 durante a campanha.

Nyusi mostrou-se satisfeito por ver o distrito de Marínguè, um dos mais dilacerados pela guerra dos 16 anos e severamente afectada pelos últimos confrontos militares, estar a registar um crescimento assinalável e uma actividade económica cada mais vez mais crescente com a instalação de instâncias turísticas e não só. E é mesmo para testemunhar esse crescimento que decidiu ir pernoitar naquele distrito ontem, juntamente com toda a delegação que o acompanha.

O Chefe de Estado felicitou a população daquele distrito por ter triplicado a sua produção agrícola em apenas um ano ao alcançar uma safra estimada em mais de 155 mil toneladas de diversos produtos agrícolas em 2017 contra 45 mil toneladas registadas em 2016. E pediu para que aumentassem cada vez mais porque é da produção que o governo consegue ter dinheiro para pagar os funcionários públicos, construir escolas, hospitais, estradas, fornecer água que tanto a população tem estado a pedir. No entanto, recordou que tal passa por haver um clima de paz no país e a reconciliação é a arma para tal.

Filipe Nyusi recorreu ao exemplo de um grupo de dança denominado Dumbo de Gravata que foi dançar no seu comício. O mesmo é composto por pessoas que durante o último conflito terminado em 2016 passaram a integrar as forças beligerantes mas quando terminou o conflito voltou a se unir e a continuar a dançar, Nyusi disse que é aquilo que os moçambicanos todos precisam fazer, não se discriminarem por pertencer a esta ou aquela força política mas de mãos dadas construir um país em país e próspero.

A malária é outra preocupação apresentada pelo Chefe de Estado. É no ano passado em Marínguè foram registados mais de 40 mil casos de malária contra 19 mil do ano anterior. O presidente pediu à população para observar rigorosamente as medidas de prevenção e usar as redes mosquiteiras que têm sido distribuídas gratuitamente pelo Ministério da Saúde, principalmente para proteger as crianças e mulheres grávidas. Apelou ainda para que os adultos levassem as crianças dos seis meses a 14 anos a vacinarem contra Sarampo e Rubéola ao longo da presente semana.

Perguntas da população ao PR

Duas pessoas foram ao pódio apresentar preocupações da população. Uma falou do facto de terem sido registados pelo Cruz Vermelha Internacional para receber produtos alimentares durante o conflito militar no povoado de Gravata, mas tal não chegou a acontecer e questionou o que deverão fazer na próxima campanha eleitoral.

O Presidente respondeu que os votos não estão a venda e nem podem ser comprados. Disse que o governo faz as suas actividades em prol do melhoramento das condições de vida das populações e nunca em troca de votos, mas em cumprimento das suas obrigações e promessas. Esclareceu ainda que no momento em que a Cruz Vermelha Internacional fez essas promessas o governo advertiu para que não as fizesse sob o risco de criar problemas no futuro e apelou a população para dedicar-se à produção de alimentos e não ficar de mão estendida a espera de apoios.

Um jovem de nome Victor Adriano foi agradecer a energia eléctrica e pediu água e instalação de uma agência bancária. Filipe Nyusi garantiu que já há projecto para melhorar o fornecimento de água a Nhamapaza e que está em estudo na Direcção Provincial das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos de Sofala e que dentro em breve aquele povoado vai receber água. Quanto ao banco disse que ainda ontem falou com gestores de um dos bancos nacionais que garantiram que já lançaram concurso público para a construção de uma agência em Marínguè o que significa que até ao início de 2019 poderá entrar em funcionamento. Mais uma vez apelou ao aumento da produção para que a população tenha dinheiro para guardar no banco e tornar o negócio viável para as instituições financeiras.

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos