O País – A verdade como notícia

Mais de 10 mil pessoas foram infectadas pela COVID-19 na semana passada

O Ministério da Saúde classificou como alarmante a propagação da COVID-19 nos últimos sete dias. Em uma semana, o país declarou 92 óbitos, em pacientes infectados pela COVID-19, mais 62 que a última semana.

Um cenário alarmante. É assim como o Ministério da Saúde (MISAU) classifica o agravamento da situação da pandemia da COVID-19 no país, particularmente na última semana, com registo de 92 óbitos em pacientes infectados.

Dados cumulativos da semana finda indicam ainda que o país registou mais de 10.404 novos casos da doença, contra 5.010 da semana antecedente. O número de pessoas infectadas que necessitaram de internamento hospitalar foi de 430, um aumento em 161 internamentos, comparativamente à semana precedente que deram entrada 269 pessoas nas unidades sanitárias. Com mais infecções e igualmente mais internamentos, o sector da saúde declara que foi a pior semana de sempre.

Com o agravamento da situação, há doentes internados, em estado grave, mesmo tendo tomado as duas doses da vacina. As autoridades esclarecem que a vacinação não é protecção total.

¨Nós temos muitos óbitos em pessoas adultas, mais de 60 aos 85 anos, o que significa que estas pessoas, para além de infecção por COVID-19, têm outras patologias. Então, a vacina aqui poderia ser um factor de confusão se dissermos que as pessoas que são vacinadas são as que mais morrem. Não é verdade”, clarificou.

Com a chegada da variante Delta ao país, detectada na província de Tete, o Instituto Nacional de Saúde enviou ao estrangeiro para confirmação da existência ou não de mais casos, mas ainda não há resultados, disse Sofia Viegas, Directora de Laboratórios da entidade.

As autoridades sanitárias explicam que a febre, falta de ar, diarreia, perda de olfato e paladar, fraqueza, nariz entupido são os sintomas mais comuns da variante Delta, que já circula no país, havendo necessidade de se dirigir à unidade sanitária caso a pessoa manifeste alguns ou todos esses sintomas.

Apesar do número da roptura nos centros de internamento, com destaque para a cidade de Maputo, o MISAU diz que a solução para reduzir os casos de pacientes internados nas unidades sanitárias é mudança de comportamento da sociedade, apelando para a rigorosidade nas medidas de prevenção.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos