O País – A verdade como notícia

Mais 106 extensionistas reforçam campanha de produção na província de Maputo  

Na presente campanha agrícola, a província de Maputo vai passar de 180 para 286 extensionistas para dar assistência aos produtores. A informação foi avançada durante o lançamento da campanha agrária 2020-2021, esta sexta-feira, no distrito de Boane.

À moda africana, os régulos de Boane fizeram preces aos antepassados para que haja sorte na presente campanha agrícola.

Depois de acompanhar a cerimónia, a delegação chefiada pela ministra Carmelita Namashulua, destacada pelo Governo Central para dirigir a cerimónia na província de Maputo, visitou as instalações da Moçambique Farms – uma empresa de capitais das Maurícias e de empresários nacionais – na criação e processamento do frango.

“Somos uma empresa com 14 aviários automatizados, sendo que cada um tem capacidade de 20 mil aves e conta com um sistema sofisticado e automatizado que controla a alimentação, a administração de água e controla a humidade e temperatura, para garantir o bom desenvolvimento das aves”, detalhou Nemésio Chilundo, supervisor de unidade de produção, na interacção com a comitiva da ministra.

“Semanalmente, a nossa fábrica de abate tem capacidade de tirar 75 mil frangos, sendo que anualmente produzimos cerca de dois milhões de frangos e temos capacidade de processar 4.300 toneladas”, prosseguiu Nemésio Chilundo.

Depois da visita seguiram-se os discursos. Porque maior parte da população moçambicana vive da agricultura, a União Provincial de Camponeses mostrou o seu comprometimento com o aumento da produção e produtividade.

“O apoio estratégico e específico à agricultura familiar mostra-se prioritário na nossa abordagem de desenvolvimento como país. As iniciativas ao longo do presente ano, a nível de estratégias, programas e projectos para o desenvolvimento agrário, entre outras”, são importantes para “a operacionalização do papel da agricultura na nossa economia”, destacou Rabeca Mabui, presidente da União Nacional de Camponeses de Maputo.

 

GOVERNO VAI APOSTAR EM INFRA-ESTRUTURAS PARA AUMENTAR PRODUÇÃO

Por seu turno, Júlio Parruque, governador da província de Maputo, destacou que o sector agrícola só pode lograr grandes avanços quando haver investimentos em infra-estruturas. “Por isso, para este ano está prevista a construção de dois regadios, sendo um para Moamba e outro para Boane”, bem como “a reabilitação de um em Matutuine”.

Na sua intervenção, a ministra da Educação e Desenvolvimento Humano, Carmelita Namashulua, defendeu que a província tem potencial para superar a produção global de 41.7 milhões de meticais registada na campanha passada.

“A campanha agrária 2019-2020 na província de Maputo foi positiva, sendo que o sector contribuiu com 21% na produção global da província, ocupando o segundo lugar, antecedido pela indústria transformadora, com um total de 829.9 mil toneladas de culturas alimentares e 3.4 milhões de culturas de rendimento”. Destas, destaque vai para hortícolas, raízes, tubérculos e frutas, disse a governante.

Carmelita Namashulua destacou ainda algumas acções que foram tomadas para melhorar os índices de produção na província de Maputo.

“Esperamos um crescimento nesse sector”, o que será materializado “não só pelas condições do clima, mas também pelo investimento do governo na contratação de novos extensionistas. A província de Maputo passará de 180 para 286 técnicos” para “dar assistência aos nossos produtores”, concluiu a ministra.

Na presente época, a província de Maputo prevê lavrar uma área de 350 mil hectares, sendo que está garantida a assistência técnica a 63 mil produtores e 35 mil criadores.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos