O País – A verdade como notícia

Maior feira nacional de negócios abre de olho na ligação de mercados

Foto: O Pais

O Presidente da República, Filipe Nyusi, procede, hoje, a abertura oficial da 53ª edição da Feira Internacional de Maputo (FACIM), a maior feira de negócios de Moçambique.

A edição deste ano vai contar com a presença de 1.940 empresas nacionais, 540 estrangeiras e 26 países, sendo que a Bielorrússia aparece pela primeira vez neste evento.

O momento mais alto do dia de abertura consistirá na entrega, pelo Chefe de Estado, de galardões dos melhores exportadores.

Esta é a sétima vez que o espaço de Ricatla recebe a maior exposição de negócios do país, depois de ter abandonado o espaço localizado na baixa da Cidade de Maputo.

Tudo a postos

O Vice-ministro da Indústria e Comércio, Ragendra de Sousa, visitou, ontem, o recinto da feira, para se inteirar dos preparativos, tendo constatado que estava quase tudo concluído.

Durante a passagem do vice-ministro, os preparativos estavam já acima de 80 por cento e a arrumação dos produtos quase completa nos compartimentos e balcões dos expositores.

A edição deste ano tem como foco a ligação entre os locais de produção e os mercados que constitui um dado inovador, diferentemente das edições anteriores.

“Estamos aqui para encorajar os expositores a serem o elo de ligação económica entre os produtores e os comerciantes. Este é um diferencial que trazemos das edições passadas em que se vinha e voltavam sem negócios. Mas desta vez iremos pedir as grandes empresas sediadas em Maputo para que escalem os diversos pontos de produção, isto é, da cidade ao campo, e vice e versa” disse a fonte.

Angola em peso

Seis empresas ligadas aos sectores da construção, prestação de serviços e indústria vão representar Angola durante os seis dias da 53ª edição da FACIM.

Em declarações à Angop, o Presidente do Conselho de Administração da APIEX, agência angolana de promoção de exportações, Belarmino Van-Dúnem, referiu ser importante a presença de Angola no evento, pois vai permitir divulgar o nome do país, assim como os empresários partilharem experiências com outros expositores.

“Vamos a Moçambique para mostrar ao mundo o que Angola tem de melhor, atrair investidores para o país e abrir o caminho para os empresários angolanos fora das nossas fronteiras”, disse.

Com o intuito de fomentar a participação das empresas angolanas, o Governo moçambicano tem já disponibilizado a custo 0 um Stand de 25 metros quadrados para os expositores/empresas angolanas.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos