O País – A verdade como notícia

Macamo defende aposta nas mulheres e jovens para o progresso africano

A Presidente da Assembleia da República (AR), Verónica MAcamo, considera o empoderamento da mulher e da juventude como a chave para o progresso do continente africano, em particular, onde estes são os segmentos maioritários da população.

Este posicionamento foi vincado durante a 24ª sessão da Assembleia Geral da Intercontinental da Ortodoxia, que decorre na capital italiana, Roma.
Falando semana finda na abertura da sessão, que decorre sob o lema “A Compreensão do Cristianismo sobre a Crise Global e Fórmulas para a sua Superação”, Verónica Macamo manifestou preocupação com o impacto negativo da crise económica global, que segundo disse, torna a vida de milhares de pessoas, pouco humana, particularmente aquela que estão afectadas pela fome e conflitos militares.

“Como resultado da crise alguns países em desenvolvimento estão a regredir. Por outro lado, o fosso entre os países ricos e pobres aumentou, comparativamente aos anos 80”, resumiu Verónica Macamo.

Perante as adversidades em curso, a líder do parlamento moçambicano enumerou algumas apostas do continente africano para melhorar a situação socioeconómica das populações, nomeadamente, a Agenda 2063, e a Agenda de Desenvolvimento sustentável – 2030 que “constitui outro instrumento importante, que levado a bom termo vai criar condições para os nossos países ultrapassarem os desafios resultantes da crise”.

A Assembleia Geral da Internacional Ortodoxa iniciou no passado domingo e termina sexta-feira. Verónica Macamo participa do evento em representação do Presidente do Parlamento Pan-Africano, Roger Nkodo Dang.

Sobre o lema da Assembleia, Verónica Macamo disse que o mesmo “afigura-se oportuno, pois vai permitir que este encontro avance propostas concretas para minimizar o impacto negativo da crise global, com vista a tornar mais humana a vida de milhões de pessoas afectadas pela pobreza e conflitos no mundo”.

Deste modo, a parlamentar moçambicana disse ser da opinião de que “no esforço de combate à crise, os cristãos devem seguir os ensinamentos de Cristo de modo a ensinar através do seu exemplo de concórdia.”

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos