O País – A verdade como notícia

Luís Gonçalves impressionado, pisca olho aos “Mambinhas”  

O seleccionador nacional, Luís Gonçalves diz ter ficado maravilhado com desempenho dos “Mambinhas” no Torneio da Cosafa e cogita possibilidade de utilização de algumas unidades num futuro próximo. O técnico lamenta, porém, a falta de competições no país, o que pode quebrar ritmo dos jogadores.

Simplesmente maravilhado, foi como o seleccionador nacional ficou com o desempenho dos “Mambinhas” no Torneio da Cosafa. Para Luís Gonçalves, o mérito vai para o técnico Dário Monteiro e para os atletas que mostraram garra e determinação para ultrapassar as adversidades que encontraram pela frente.

“Os “Mambinhas” tiveram uma participação brilhante. Estiveram bem do princípio ao fim. Dário Monteiro está de parabéns, fez um belíssimo trabalho. Estamos todos orgulhosos pela conquista”, disse o treinador, para depois avançar não ter dúvidas de que ali há muito talento para alimentar a selecção A.

“Nesta selecção sub-20 estão alguns jogadores que participaram do Torneio da Cosafa em sub-17 do ano passado que até chegaram à final, mas infelizmente não conseguiram conquistar a prova. Temos estado a fazer um trabalho de acompanhamento e há comunicação entre os seleccionadores. Estamos atentos aos jogadores que vão se evidenciando, e certamente, que num futuro próximo podem ser chamados para a selecção A”, disse o técnico.

O treinador não deixou de realçar a união e coesão no seio do grupo de trabalho como um elemento que ajudou a selecção a ultrapassar barreiras e conquistar a prova. “O que mais me chamou atenção foi o espírito colectivo. Notou-se que a equipa estava muito focada no objectivo. Os jogadores cumpriram a missão que o seleccionador os incumbiu. Foi uma equipa que funcionou como um todo, foi coesa quer a defender, quer a atacar. O nosso guarda-redes foi considerado o melhor da prova e isso é muito bom”, realçou.

GONÇALVES PREOCUPADO COM FALTA DE COMPETIÇÕES EM MOÇAMBIQUE

Sem o Moçambola e outros campeonatos a decorrer, o técnico teme que os jogadores não consigam manter a forma. 

“Que esta conquista seja um incentivo para que os clubes apostem mais na formação. Para que não percam o ritmo competitivo, é importante que os jogadores tenham competição. Preocupa-me o facto de não termos actividades a nível competitivo em Moçambique, quer nos escalões de formações, quer a nível dos séniores (o Moçambola)”.

Lembre-se que além de conquistar a Taça Cosafa, Moçambique carimbou presença histórica no CAN da categoria, prova que terá lugar na Mauritânia no início do próximo ano.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos