O País – A verdade como notícia

“Locomotiva” de Maputo descarrila Comboio

No jogo mais importante da 6ª jornada do Moçambola 2021, o Ferroviário de Maputo foi a Matchiki Tchiki derrotar o Costa do Sol por 1-2 e a “locomotiva” de Maputo descarrilou o Comboio do Artur. A líder, Black Bulls, continua de vento em pompa e voltou a fazer mais uma vítima de peso, o Desportivo Maputo, com goleada de 3-0.

De verdadeiras surpresas, esta jornada só trouxe uma: o empate entre o Textáfrica do Chimoio e a União Desportiva de Songo, na Soalpo. Do resto, os resultados verificados foram os “quase” esperados! Sim porque em alguns jogos era tipo na lotaria, 1×2.

Descarrilar o Comboio que passou pelo caminho da “locomotiva”

Na partida mais importante da jornada, no campo do Costa do Sol, o “canário” foi trucidado pela “locomotiva” de Maputo, no derby de todos os tempos do futebol moçambicano. Marcel foi o homem do jogo ao apontar os dois golos do Ferroviário de Maputo, o segundo dos quais de belo efeito a relembrar os grandes golos do mundo fora: um verdadeiro hino ao futebol.

Tal como na jornada anterior em que marcou ao quarto minuto, Marcel repetiu, no “ninho do canário”, com a turma da casa a empatar nos descontos da primeira parte pelo internacional Telinho, a mostrar que está de volta aos golos.

Mas, na segunda parte, Nené viu o cartão vermelho e a “locomotiva” aproveitou para descarrilar Artur Comboio e voltar a vencer, tal como fez nas últimas três temporadas em casa alheia e assaltar a terceira posição, agora 12 pontos, os mesmos da Associação Desportiva de Vilankulo, que, nesta jornada, se viu derrotada na deslocação ao “caldeirão” do Chiveve pelo Ferroviário da Beira por 3-1.

Aliás, os “locomotivas” de Chiveve estavam em teste de fogo pela vice-liderança e ainda começaram por sofrer aos 20 minutos, todavia conseguiu fazer a reviravolta e conseguir vencer por 3-1, tendo-se isolado na segunda posição, agora com 15 pontos e manter a perseguição ao líder da prova.

Mare, Mafaite e Dayo, este último de grande penalidade, fizeram os golos da turma da Beira.

Os “hidrocarbonetos” ficaram arredados da perseguição à liderança, uma vez que, com a derrota, caíram para a quarta posição e alcançados pelo Ferroviário de Maputo.

“Touros” continuam a caminhada invicta

Quem não arma, nem desarma é a Black Bulls, líder da prova, que voltou a fazer mais uma vítima, também colosso do futebol moçambicano, o Desportivo Maputo, por claros 3-0. Não contou o seu melhor marcador, Ejaita, lesionado, mas, quem tem Hammed, Melque e Victor e ainda a contar com Fidel e outros tantos, pode ficar descansado. Os 3-0 não escandalizaram a ninguém, tendo em conta que foi pouca a margem de reacção dos “alvi-negros” nesta partida em que saíram cabisbaixo perante uns “touros” cada vez mais fortes e a quererem mostrar-se como candidatos à conquista do título.

Ferroviário de Nampula muda treinador, mas não de resultado

Quem continua a não encontrar-se com a vitoria é o Ferroviário de Nampula que voltou a vergar. Na semana passada, perdeu em casa com o homónimo da Beira e afastou o seu treinador, Chaquil Bemat, mas, mesmo assim, não conseguiu reverter a situação.

Esta semana, deslocou-se a Incomáti e terá apanhado muito chá açucarado, porque vergou por uma bola sem resposta com os “açucareiros”, mantendo-se na zona da despromoção, com os mesmos três pontos que conseguiu antes da suspensão da prova.

O Incomáti de Xinavane sobe alguns degraus e passa à sexta posição, agora com nove pontos.

Quem não conseguiu manter a senda de vitórias é a Liga Desportiva de Maputo. Depois de ter vencido o Incomáti na jornada anterior, na deslocação a Nampula não conseguiu sair. A turma de Hanhane encontrou uma “locomotiva” de Nacala quase desfalecida, até porque, na quinta jornada, tinha empatado com o Desportivo Maputo a um golo.

Ndazione fez as honras da casa e deu uma importantíssima vitória à turma de Nacala que ainda não pôde inaugurar o seu novo campo, com relva sintética e foi obrigada a jogar na capital, Nampula.

Djei, o mortífero de Lichinga

Em Lichinga, houve festa, certamente, mesmo sem público no Estádio 1º de Maio. É que o Ferroviário local não teve meias medidas para cilindrar o Matchedje de Mocuba, no jogo de primodivisionários do Moçambola 2021.

Teve em Djei o homem de jogo, o mortífero, o maquinista, que virou os canos para os “militares” e fuzilar por três ocasiões, deixando João entrar na lista dos marcadores do jogo, a fechar a contagem.

Surpreendentemente, os “locomotivas” de Lichinga ocupam a quinta posição, em igualdade pontual com Incomáti de Xinavane e União Desportiva de Songo.

Os “hidroeléctricos” não foram além de um empate a um golo, na deslocação a Soalpo, diante do Textáfrica do Chimoio, a um golo, numa estreia pouco auspiciosa de Caló no comando técnico da turma de Tete.

Dário ainda deu alegrias aos “hidroeléctricos”, na primeira parte, mas Ibraimo restabeleceu o empate a cinco minutos do final, dando um ponto à turma da casa.

O maior destaque desta jornada vai para Djei, não só por ter marcado três golos na goleada da sua equipa, mas também por ter apontado o golo número 100 da prova, que vai já em 105 remates certeiros.

O Moçambola regressa próximo final de semana com a 7ª jornada.

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos