O País – A verdade como notícia

“Locomotiva” afunda-se na Hidroeléctrica de Cahora Bassa

É o assalto da União Desportiva de Songo à liderança do Moçambola-2018, depois de vencer o Ferroviário de Maputo por duas bolas sem resposta. Uma vitória que isola o campeão nacional na liderança e coloca a equipa mais próxima do título, tendo em conta que ainda tem um jogo em atraso, diante da Liga Desportiva de Maputo, faltando cinco jornadas para o fim da prova.

Na partida desta quarta-feira, o Ferroviário de Maputo fica a dever-se a boa exibição do seu guarda-redes, Hernani, que defendeu tudo o que havia por defender, evitando que a sua equipa sofresse mais golos no jogo. Aliás, os “locomotivas” aguentaram-se até ao minuto 70, quando o jogo estava ainda equilibrado, com jogadas de perigo de parte a parte, sem sucesso.

Jogava-se então o minuto 72 quando Mário recebe a bola no meio campo e vendo o adiantamento de Hernani, o avançado dos “hidroeléctricos” levantou a bola e deu um chapéu da liderança. Um grande golo do “Super Mário” que levantou o estádio 27 de Novembro.

Nelson Santos decidiu fazer algumas substituições, fazendo entrar Diogo e Pauluana, mas que não davam resultado.

Os “hidroeléctricos” não cediam, apesar de estarem em vantagem e Jimmy ainda levou a bola ao poste da baliza de Hernani, perdendo a oportunidade de ampliar o marcador.

Já ao apagar das luzes, a UD Songo chegou ao segundo, com Kambala a galgar terreno do seu meio campo até a área “locomotiva”, deixando para Amadu, que sem oposição, só teve que empurrar para o fundo das malhas, fazendo o 2-0 para a sua equipa e encerrando as contas do jogo.

No final do jogo, Nacir Armando, treinador da União Desportiva de Songo, disse que a equipa respondeu bem a pressão de jogar em casa, tendo ditado as regras de jogo e tornando o mais difícil em fácil. E assegura que “não devemos dormir na sombra da bananeira, porque temos três saídas e são difíceis e depois vamos jogar com equipas que lutam pela manutenção e isso vai nos dificultar muito”. Para Nacir Armando, o passo ainda não foi dado e “temos que continuar a lutar para consolidar os objectivos da direcção do clube traçados desde Janeiro até aqui”. Relativamente ao facto da equipa ter realizado seis jogos em duas semanas, o técnico “hidroeléctrico” disse que isso “significa que os jogadores foram heróis”.

Já Nelson Santos, timoneiro do Ferroviário de Maputo, considerou que a União Desportiva de Songo foi um “justo vencedor”. Esclareceu que é um cenário muito difícil e complicado para a sua equipa, e espera por “uma surpresa para o lado da equipa de Songo” nas próximas jornadas. Para Nelson Santos, “o cenário para o título está mais difícil e como responsável só posso dizer que vamos tentar terminar o campeonato com alguma dignidade”, quando faltam apenas cinco jornadas para o final do campeonato nacional.

A UD Songo lidera isolado, agora com 50 pontos e menos um jogo diante da Liga Desportiva de Maputo, mais três que o Ferroviário de Maputo, que fica a espera por um desaire do campeão nacional, para evitar que revalide o título nacional.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos