O País – A verdade como notícia

Localidades da província de Maputo já contam com mapas populacionais geo-referenciados

A província de Maputo acolheu, hoje, a cerimónia de lançamento da disseminação dos mapas cartográficos nas localidades desta província. Os mapas contêm informação estratégica de planificação e identificação de necessidades estratégicas para as populações, desde a menor unidade administrativa do país, no caso a localidade.

A localidade de Mulotane, no distrito de Boane, província de Maputo, testemunhou, esta quinta-feira, a divulgação dos mapas cartográficos que foram elaborados no contexto do censo populacional e de habitação havido em todo país em 2017.

Para além de números dos habitantes e respectivas casas, constam igualmente dados das infraestruturas existentes a nível da base.

“Pela primeira vez, na história da realização de Censos populacionais temos como resultado, não apenas o número da população e habitação, mas também, fotografias ou mapas cartográficos com informações estratégicas tais como: casas, estabelecimentos de ensino, fontenários de abastecimento de água, unidades sanitárias, antenas de telefonia móvel, vias de acesso, limites territoriais entre outros”, disse a Presidente do Instituto Nacional de Estatística, Eliza Mónica Ana Magaua.

A fonte fez saber ainda da existência de operações estatísticas em curso e futuras tais como inquérito sobre o orçamento familiar, sistema de vigilância comunitária de eventos vitais para determinar prováveis causas de morte e pediu a colaboração da população para melhor elaboração das estatísticas.

Os mapas foram apresentados num evento público dirigido pela secretária de Estado da província de Maputo e contaram com o financiamento das Nações Unidas, através do Fundo das Nações Unidas para a população, FNUAP.

Andrea Wojnar, representante do FNUAP em Moçambique, destacou na sua comunicação que os mapas vão influenciar na adopção de políticas para a melhoria das decisões a serem tomadas a favor das populações.
“Estamos esperançosos que os mapas populacionais geo-referenciados irão contribuir para que os sectores do governo a todos níveis possam melhorar e equacionar as suas acções e actividades em função da localização da população em função das necessidades visíveis”.

A Secretária de Estado da província de Maputo, Vitória Diogo, recebeu os mapas populacionais geo-referenciados e destacou a importância destes instrumentos para a planificação e satisfação das necessidades das populações.

“Estes mapas trazem-nos informação em relação a nossa população e para sabermos também se nós temos escolas, se nós temos unidades sanitárias, facilitando a planificação, estes mapas vão ajudar “.

O Instituto Nacional de Estatísticas conta com 150 mil dólares para a divulgação destes mapas por 1725 localidades vilas e bairros das cidades existentes no país.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos