O País – A verdade como notícia

Livros de Ganhanguane Masseve promovidos pela Kuvaninga

A Kuvaninga Cartão d’Arte quer investir na promoção de livros dos seus autores. Por isso, a partir do próximo mês, a editora que produz livros com capas de cartão vai colocar em destaca obras dos seus autores durante um mês.

Para avançar com a iniciativa, a Kuvaninga escolheu As três mulheres de Malunga e A verruga de martelo, ambos livros da autoria de Ganhanguane Masseve.

Segundo uma nota da editora, a campanha que inicia dia 1 de Outubro vai contemplar promoções dos livros, conversas sobre o autor e sobre os livros, feira de livro e uma sessão de autógrafos com o autor, em datas a serem divulgadas oportunamente.

As três mulheres de Malunga é a vigésima segunda obra lançada pela editora, em Outubro de 2015, durante a primeira edição do Festival Literatas, decorrido na Machava-Sede, Município da Matola, na Província de Maputo. A mesma foi reeditada em Março de 2017 e, de acordo com Eduardo Quive, autor do prefácio citado pela editora, “Este livro que não creio que seja uma história de poligamia, encaixa-se numa literatura moçambicana que se pretende mais dinâmica. Aqui, Ganhanguane Masseve mostra-se um leitor de grandes contadores de histórias da sua terra e transformou-se em autor dos seus próprios conflitos”.

A verruga de martelo, lançada em Março de 2018, é uma colectânea de contos que faz a descrição de vários assuntos que apoquentam a nossa sociedade”, descreve Munib Faquir, para quem a proeza de Ganhanguane Masseve reside no facto do escritor ser um exímio contador de histórias.

Ganhanguane Masseve nasceu a 23 de Fevereiro de 1982, na Cidade de Maputo. É licenciado em Psicologia Educacional pela Universidade Pedagógica, onde foi Assistente nas cadeiras de “Planificação Curricular” e “Educação de Adultos”, e Assistente de Pesquisa em várias escolas da Cidade de Maputo. Foi estagiário no Centro de Reabilitação Psicológica Infanto-juvenil (HCM), e no Centro de Estudos Laborais da Biblioteca do Ministério da Educação, em Maputo, onde obteve maior contacto com a literatura moçambicana. Venceu a edição de 2012 do Prémio Literário do Banco de Moçambique, com o livro As três mulheres de Malunga, e o Prémio Literário as Línguas em Português do Instituto Camões, Pólo da Beira, em 2013, com No reino do asfalto. Foi Menção Honrosa com o livro A verruga de martelo, no Prémio Literário 10 de Novembro, em 2015. Foi Vice-Presidente do Movimento Literário Kuphaluxa. Actualmente, é docente de Psicologia e Pedagogia na Escola da Comunidade Mahometana.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos