O País – A verdade como notícia

Kenmare abre nova frente de exploração de areias pesadas

A mineradora irlandesa Kenmare iniciou esta terça-feira a transferência da plataforma de processamento de areias pesadas e a respectiva draga do distrito de Larde para o distrito de Moma, em Nampula. A mega operação vai durar mais de uma semana e é a maior jamais feita em África.

Tudo começou com a preparação de uma estrada de 42 metros de largura para permitir a passagem das grandes estruturas metálicas, da zona de Namalope, no distrito de Larde, para o povoado de Pilivili, no vizinho distrito de Moma, na parte costeira da província de Nampula.

Trata-se, primeiro, da fábrica flutuante de processamento de areias pesadas que pesa 7 mil toneladas. Para a sua deslocação foram mobilizados 290 eixos de rodas para levantar a estrutura para começar a rolar em terra, devendo percorrer 23 km de estrada, dentro de mais de uma semana.

A transferência de Namalope para Pivilili deve-se a dois motivos, tal como explicou Higino Jamisse, director-geral da Kenmare: “nos últimos anos estávamos a minerar na casa de 2 a 3% de teor de minério e onde vamos vamos minerar na casa de 4% a 5% de teor de minério. Portanto, o teor de minérios onde vamos é mais elevado o que implica aumento de produção e nesta zona já esgotamos a área que estava na concessão aqui em Namalope e está na hora de sair”.

Seguir-se-á a reposição total dos solos para a devolução da terra às comunidades, tal como recomendam as leis das Minas e do Ambiente. “Agora estamos a sair e tem a última parte onde esta fábrica minerou e temos que continuar com o processo de reabilitação. Portanto, a parte final é a entrega da terra às comunidades e a desanexação da terra do nosso Direito de Uso e Aproveitamento da Terra”, afirmou aquele responsável.

Enquanto a planta de processamento continuava imóvel, a draga, que é a estrutura que capta a água e as areias leves e pesadas para a fábrica começou o movimento, tendo-se mobilizado dezenas de técnicos e agentes da polícia para regular o trânsito.

A grandeza da estrutura atraiu muitos populares que quiseram acompanhar aquela que é a maior movimentação de uma fábrica por terra em África, tal como referiu o director-geral da Kenmare.

Conheça o valor e aplicação de areias pesadas

A Kenmare contribui com 7% da produção mundial de areias pesadas com a exploração em Moçambique. Com as areias pesadas processadas extrai-se três principais produtos com um valor que varia de 13 mil a 81 mil meticais a tonelada.

A transferência das unidades de exploração e processamento de areias pesadas de Larde para Moma marca uma nova etapa da Kenmare em Moçambique, a mineradora irlandesa pioneira na exploração de areias pesadas no nosso país, já lá passam mais de 10 anos.

Com o processamento de areias pesadas saem três produtos, com várias aplicações e diferentes custos no mercado internacional:  o ilmenite custava em 2019, 184 dólares a tonelada. Na forma de dióxido de titânio  é usado na produção de pigmentos como base para pinturas de alta qualidade.

O rutilo custava 852 dólares a tonelada, no ano passado.  É utilizado em tintas, plásticos, papel, cosméticos e outras aplicações como na produção de eletrodes de soldadura.

Já o zircão custava 1163 dólares a tonelada em 2019. O zircão é utilizado como material refractário para moldes de fundição, como abrasivo e como constituinte de isolantes, esmaltes e outros materiais resistentes à temperatura. Utiliza-se ainda como pigmento na indústria cerâmica.

Trata-se de recursos valiosos, com um mercado garantido no mundo fora. “Os nossos mercados são a China, na sua maioria, mas também temos o japonês, europeu e americano”, assegurou Higino Jamisse, director-geral da Kenmare.

A Kenmare exporta um milhão de toneladas por ano e vai passar para um milhão e duzentas mil toneladas.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos