O País – A verdade como notícia

Juventude: o maior desafio do continente africano

O continente africano tem a população mais jovem do mundo, que continua a crescer a um ritmo muito acelerado. É expectável que, até 2055, a população jovem do continente (com idades entre os 15 e os 24 anos) seja o dobro da registada em 2015, atingindo um total de 452 milhões de habitantes e que, até 2063, a população com menos de 25 anos possa atingir 70%.

Neste contexto, podemos afirmar que o sucesso dos esforços e políticas adoptadas pelos governos africanos para promover a inclusão social e económica dos jovens determinará os resultados do processo de desenvolvimento social e crescimento económico das nações africanas.

Para tal, é fundamental adoptar uma agenda política que inclua medidas demograficamente sustentadas que façam face à exclusão social, política, cultural e económica e que saibam explorar a energia e dinamismo da população mais jovem.

Estamos perante a feroz urgência do agora e os custos de ter grande parte da sua população em idade activa sem competências adequadas para o mercado de trabalho teriam como consequências o fraco desempenho económico, elevados níveis de desemprego, fuga de cérebros e elevados índices de criminalidade que levariam a uma grande instabilidade política e social.

Neste cenário, a temática do conhecimento, que será o grande tema de debate do Fórum MOZEFO 2017, assume particular importância, uma vez que será o factor determinante para formar jovens capacitados e competitivos num mundo globalizado.

Por outro lado, é fundamental combater a desigualdade geracional patente em muitos países e que condiciona a integração social, política e económica dos jovens. No plano económico, em particular no que respeita ao mercado de trabalho, é urgente a necessidade de tomar medidas, correndo-se o risco de a curto ou médio prazo ser praticamente impossível criar empregos para responder às necessidades dos jovens desempregados e empregados em situação precária.

Segundo dados do Banco Africano de Desenvolvimento, em 2015, 12 milhões de jovens entraram no mercado de trabalho, tendo sido criados 3,1 milhões de postos de trabalho. Mas os dados revelam que a maioria dos jovens não conseguiu um emprego.

Contudo, surgem sinais muito positivos da forma como os líderes africanos estão atentos e preocupados com esta questão. Neste sentido, o tema escolhido pela União Africana para 2017 é “Aproveitar o dividendo demográfico através do investimento nos jovens”, e a quinta cimeira União Europeia-África, a ser realizada ainda este ano, incidirá directamente sobre a temática dos jovens do continente. Espera-se destes debates uma discussão construtiva e produtiva no que concerne à adopção de medidas que criem maiores oportunidades e incentivos à capacitação dos jovens.

Neste contexto, o MOZEFO não podia estar alheio a esta temática, tendo criado um projecto dedicado aos jovens para o próximo Fórum, que se realiza a 22, 23 e 24 de Novembro em Maputo. O MOZEFO Young Leaders é uma iniciativa que visa criar um espaço aberto de debate dedicado aos jovens moçambicanos e promover a partilha de conhecimento e experiências que possam contribuir para a sua formação e desenvolver as suas capacidades de liderança.

Por outro lado, o MOZEFO Young Leaders irá promover o debate em torno das temáticas do desenvolvimento económico que mais preocupam os jovens moçambicanos e estimular a sua participação cívica na sociedade.

Ao longo do Fórum MOZEFO, será organizado um conjunto de “masterclass” com os principais oradores, para partilha das suas experiências de liderança e conhecimento sobre as temáticas do desenvolvimento económico e social dos países.

O grande objectivo do MOZEFO Young Leaders é contribuir para a formação profissional e pessoal dos jovens através da partilha de conhecimento e experiências colectivas e individuais, de forma a promover o melhor entendimento sobre os desafios das sociedades num contexto global e local.

O MOZEFO Young Leaders é uma iniciativa aberta a todos os jovens moçambicanos com idades compreendidas entre 21 e 35 anos, estudantes universitários ou jovens trabalhadores e empreendedores, sendo a sua admissão sujeita à apreciação da candidatura. Para além do formulário de inscrições, as candidaturas devem ser acompanhadas do CV dos candidatos e de um texto sobre “Qual o papel da juventude no processo de desenvolvimento do país?”. As candidaturas devem ser enviadas para o e-mail [email protected]

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos