O País – A verdade como notícia

Juvânia Munguambe e Inérzio Macome (do Xiquitsi) ganham bolsas do PROCULTURA

Juvânia Ércia Munguambe e Inérzio José Macome, ambos alunos do projecto Xiquitsi, ganharam bolsas de estudo para Licenciatura em Música, variante Execução, na Escola Superior de Música de Lisboa, em Portugal.

“Esta bolsa, para mim, significa benção de Deus! Jesus se manifestou na minha vida. E que Xiquitsi continue a capacitar os alunos para que possam atravessar além fronteiras, que não parem de estudar, que continuem trazendo professores qualificados para capacitar e melhorar o nível dos alunos”. As palavras são de Juvânia Ércia Munguambe, uma das aulas que conseguiu a bolsa de estudos do PROCULTURA. Para a jovem artista (violino), naturalmente, esta é uma rara oportunidade de aprofundar os seus conhecimentos, de modo que cresça e evolua na carreira que escolheu.

Igualmente satisfeito está o outro aluno que venceu o concurso para atribuição de bolsas de estudo no âmbito do projecto PROCULTURA, financiado pela União Europeia, co-financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian e ainda co-financiado e gerido pelo Instituto Camões, IP: Inérzio José Macome, para quem “ter esta oportunidade é algo muito especial e motivador para mim, porque irei dar continuidade… fazendo o que mais gosto (música). Acredito também que, através desta bolsa, irei adquirir mais conhecimentos para poder ajudar no desenvolvimento da música clássica em Moçambique. Ao Xiquitsi, gostaria de expressar o meu mais profundo agradecimento por contribuir no meu desenvolvimento como estudante de música e como pessoa”, afirmou o jovem artista (violoncelo).

Os dois alunos, Juvânia Ércia Munguambe e Inérzio José Macome, não são os primeiros do Xiquitsi a vencer um concurso de atribuição de bolsas de estudo. Na verdade, ambos vão juntar-se, em Portugal, a Kleyd Alfainho, Márcia Massicame e Florêncio Manhique, que também ganharam bolsas de estudo, no ano passado.

Juvânia Ércia Munguambe nasceu em Maputo e tem 24 anos de idade. Faz parte do Xiquitsi desde 2014. A aluna do Xiquitsi teve várias participações internas de destaque e participou no Festival de Primavera em Viseu, em Portugal; e no Festival Internacional de Música da Câmara, em Stellendboch, na Cidade do Cabo, na África do Sul.

Já Inérzio José Macome nasceu em Maputo e tem 19 anos de idade. Integra o projecto Xiquitsi desde 2016. Através do Xiquitsi, participou no Festival de Música de primavera em Viseu, em Portugal (2018); no Festival internacional de Música da Câmara, em Stellendboch, Cidade do Cabo, África do Sul (2018); e no Festival de Música de Santa Catarina, no Brasil (2020). No ano passado, Inérzio ganhou o Prémio Melhor Aluno Xiquitsi – 2019.

Os jovens artistas alunos do Xiquitsi irão viajar para o país de Camões dentro de dias.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos